fbpx

Nem caroço, nem casca – Uma História de Quilombolas (2013)

Teaser

Sinopse

FOTO Nem caroco nem casca 06Uma estrada no interior do Maranhão une os moradores de seis comunidades quilombolas. Tendo como ponto de partida a cidade de Viana, Nem Caroço Nem Casca – Uma história de Quilombolas apresenta o cotidiano destes povoados, ligados pelo mesmo passado de luta e escravidão, onde família, educação, religião, cultura e amor são ferramentas de resistência.

Nem Caroço Nem Casca – Uma História de Quilombolas conduz o espectador para uma viagem ao interior do Brasil. O ponto de partida é o centro da cidade de Viana – Maranhão; e o destino são seis quilombos ligados por uma única estrada.

Quilombos são comunidades formadas por escravos quando conseguiam fugir dos senhores de engenho. Criavam suas casas e suas famílias às escondidas, enquanto lutavam pela resistência de sua cultura e a busca pela liberdade. Esses quilombos existem até hoje, e seus residentes – os quilombolas – permanecem na luta por seus direitos e sobrevivência.

São seis as comunidades visitadas: Cacoal, Capoeira, Mocambo, Ipiranga, Boa Fé e Santo Inácio. A cada parada na estrada o documentário buscar revelar a sociedade quilombola atual no Maranhão. Como (sobre)vivem, suas casas, as histórias, as fofocas, a formação da sociedade. Os personagens de cada comunidade confidenciam sua história e seu cotidiano para o espectador: são líderes e membros atuantes, homens e mulheres, de jovens a anciãos, que formarão um panorama diversificado do quilombo nos dias atuais. Os temas de cada comunidade se encontram e se complementam conforme se avança o caminho.

O documentário não aborda nem o “caroço” da história da consciência negra (a resistência do quilombo nos tempos da escravidão, Ganga-Zumba e Zumbi dos Palmares) e nem um mero deslumbre imagético, a “casca”. O filme está no meio, apostando na leveza da conversa informal como dispositivo para revelar o povo e sua cultura. É através da sua terra, da relação com a sua gente, da música, da emoção genuína, que o filme leva o espectador a se aproximar dos personagens e da atual situação quilombola.

A tradição, a visão externa, a transformação, a religiosidade, o trabalho, o sustento que vem da terra, a cultura negra, o presente de um passado de escravidão, o sonho material: são visões plurais onde o espectador é passageiro e cúmplice dessa viagem. Nem Caroço Nem Casca – Uma História de Quilombolas parte em busca da identidade e sobrevivência da luta e cultura negra atual, através da voz dos quilombolas.

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Nem Caroço, Nem Casca – Uma História de Quilombolas que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

DIREÇÃO: Will Martins
PESQUISA Raoni Rohr
ROTEIRO E DIREÇÃO Will Martins
ASSISTENTE DE DIREÇÃO Guilherme Neves
PRODUÇÃO EXECUTIVA Carol Gesser e Alex Lima
DIREÇÃO DE PRODUÇÃO Manu Scarpa
ASSISTENTE DE PRODUÇÃO Joana Grechi Krás
DIRETOR DE FOTOGRAFIA Gustavo Camarão Bordallo
CÂMERA Gustavo Camarão Bordallo e Eduardo Brantes
CÂMERA ADICIONAL Jorge Baggio
SOM DIRETO Bruno Frene
TRILHA MUSICAL Luiz Gayotto
PRODUÇÃO TRILHA MUSICAL Alfredo Bello e Luiz Gayotto
COORDENAÇÃO DE PÓS-PRODUÇÃO Cíntia Domit Bittar
MONTAGEM Alessandro Danielli
ASSISTENTE DE MONTAGEM Nina Kopko
EDIÇÃO DE SOM E MIXAGEM Bruno Frene e Gustavo de Souza
COLOR GRADING: Alan Porciuncula
FINALIZAÇÃO Lucas de Barros
PRODUÇÃO DE DIFUSÃO Carol Gesser
IDENTIDADE VISUAL: Glóbulo Célula Criativa
PRODUZIDO POR Alex Lima, Carol Gesser e Cíntia Domit Bittar
PRODUÇÃO Novelo Filmes
COPRODUÇÃO Ong Me Ensina
PRODUÇÃO ASSOCIADA Glóbulo Célula Criativa
APOIO Uma Rosa Filmes e Prefeitura de Viana – MA
PATROCÍNIO Elecnor

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.