fbpx

No Trampolim da Vida (1946)

Sinopse

Num palacete, moça pensa, toca piano, canta e vai tomar banho de piscina. Comenta com seu pai que é diretor de teatro, que pretende seguir a carreira teatral. Pai não quer. Enquanto isso, rapaz escondido observa a moça, que ele acha sedutora. Para chamar a sua atenção, ele finge um acidente de bicicleta. Ele é socorrido e apresenta-se como americano, filho de outro americano, presidente da filial de grande firma estrangeira no Rio e que deseja fazer um filme. A moça tem exatamente o tipo que se procura para estrela. O pai do americano dorme. Um groom o acorda em inglês. Em bancos num jardim público, dormem dois vagabundos e Ratinho. São acordados por um guarda que os enxota. Após uma série de gags que irritam o guarda, os dois músicos vão embora. Pregados numa árvore, a dupla encontra o anúncio de uma cartomante. Vão até a casa dela. Tendo chegado à conclusão de que a vida deles é muito atrapalhada, a cartomante quer receber seus honorários.

Elenco

Jararaca
Ratinho
Barros, Cléa
Carlos, Alexandre
Iório, Adélia
Cabral, América
Rúbia, Mara
Ferraz, Violeta
Correia, Apolo
Negra, Pérola
Lou, Madame
Alencastro, Alexandre
Martins, João
Ferreira, Armando
Dias, Pedro
Grijó Sobrinho
Matos, Estevam
Ferraz, Paulo
Melo, Bandeira de
Nascimento, Moacyr
Costa, Artur
Maia, Prado
Cursatti, A. de
Cruz, Alberto
Marques, João
Marchelli, Vicente
Marini, Jayme
Williams, William

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de No Trampolim da Vida (1946) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Franz Eichorn
Argumento: Jararaca; Ratinho; Alencastro, Alexandre
Assistência de direção: Carlos, Alexandre
Produção: Wulfes, Alexandre
Direção de fotografia: Eichorn, Edgar
Direção de som: Barros, Victor de
Arranjos musicais: Lazzoli, Alberto
Companhia(s) produtora(s): Filmes Artísticos Nacionais
Companhia(s) co-produtora(s): Cinematográfica Imperial Ltda.
Companhia(s) distribuidora(s): Cooperativa Cinematográfica Brasileira

Canção
Intérprete: Fuego, Luz del

Conjunto e banda: Quarteto de Bronze

Bibliografia

Fontes utilizadas:
CS/FF
FCB/FF
CENS/DOU
JIMS/OESP
JIMS/OESP II
JN/Imigrantes – Alemães I
CB/Recorte Documentação, 27.01.1960

Fontes consultadas:
AV/ICB
JCB/Chan
ACPB/I

Livros:

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. No Trampolim da Vida. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/no-trampolim-da-vida/

Observações:
As fontes CS/FF e FCB/FF informam que o filme custou 800 mil cruzeiros.
JN/Imigrantes – Alemães I informa que outro alemão, Paulo Stille, também esteve associado ao filme e que, pela primeira vez, foi usada uma lente “zoom”.
LFM/DCB informa que Franz Eichorn em produções brasileiras sempre assinou Francisco Eichorn.
Jararaca era o nome artístico de José Luís Rodrigues Calazans e Ratinho de Severino Rangel de Carvalho.
JCB/Chan teria visto uma cópia 16mm, cedida pela Polifilmes, sem letreiros e sem nada que identificasse o filme como NO TRAMPOLIM DA VIDA, salvo indicação manuscrita da revisão da firma.
FCB/FF afirma que o cenógrafo teria sido Guilherme, sem maiores qualificativos; o ator Estevam Matos tinha o apelido de Matinhos. Observa ainda que o filme foi reapresentado em 1959-60 com novas cenas e novo título: Comendo DE COLHER. Na reprise, o diretor apareceu como Al Ghiu, indicando-se que na remontagem foram eliminadas as cenas em que aparecia a atriz Cléa Barros, sendo enxertadas algumas cenas de strip-tease do filme norte-americano Uma noite de Follies de Los Angeles e outros realizados no Rio de Janeiro.
ACPJ/I acrescenta na ficha técnica Manoel Rocha como gerente de produção; Paulo Stille, como assistente de fotografia; Helmut Pavel na assistência de som; Nicolau Jartulary na cenografia e Guilherme Luz na assistência de cenografia; Alberto Cruz como montador e Osvaldo Mariano como assistente de montagem; Jorge Bichara na orquestração com músicas de Severino Rangel e Carlos Gomes. No elenco acrescenta Lamartine Babo, Zilka Sallaberry, Ferreira Leite e chama A. de Cursatti de Antonio Cursati.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Um comentário em “No Trampolim da Vida (1946)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.