fbpx

Nós, Carolinas (2017)

Teaser

Sinopse

Para dar visibilidade às trajetórias individuais das mulheres negras da periferia, o Coletivo Nós, Mulheres da Periferia lançou o documentário Nós, Carolinas. Trata-se de um curta documental que traz histórias de quatro mulheres de diferentes gerações que vivem em regiões periféricas da cidade de São Paulo.

Das quatro personagens do documentário, a mais velha, Carolina, morta no ano passado, aos 93, é retrato do racismo institucional das primeiras décadas do século 20, ainda presente. Já Joana, de 50 anos, conta o esforço para voltar a estudar depois de adulta. Tarcila, 30, é educadora e tenta contribuir com o futuro das crianças da comunidade. Renata, a mais jovem, aos 17 anos, fala do esforço para aceitar o cabelo crespo e se reconhecer como mulher negra, além do amor pela sua comunidade.

Este é o primeiro documentário realizado pelo grupo e apresenta vivências de mulheres moradoras de quatro regiões diferentes da capital paulista. Ao assistir o filme, o público irá transitar entre bairros e experiências de vidas relatadas em primeira pessoa. Racismo, solidão, maternidade e a busca da autoestima são alguns dos temas levantados sobre as condições de ser mulher, negra e periférica. As entrevistadas, que têm entre 18 e 93 anos, embora possuam trajetórias diferentes, estão conectadas por elementos cotidianos, como os impactos do machismo e desigualdades raciais e sociais ainda presentes no Brasil.

O título também presta homenagem à escritora Carolina de Jesus (1914-1977), autora do livro Quarto de Despejo – Diário de Uma favelada, e a trilha sonora conta com músicas da cantora Elza Soares.

Segundo Jéssica Moreira, do coletivo, território, raça e classe social unem essas mulheres, e as narrativas individuais servem para complementar a memória coletiva desse grupo marcado pela exclusão: Demos muito valor para essas narrativas, porque a gente acredita que, a partir do momento que as mulheres passam a falar das suas próprias histórias, elas ampliam suas vozes e têm mais força para lutar pelos seus próprios direitos, afirmou Jéssica, em entrevista à Rádio Brasil Atual.

O documentário foi realizado em 2016 com apoio do Programa para a Valorização de Iniciativas Culturais (VAI), da Secretaria de Cultura da Prefeitura de São Paulo. A pré-estreia foi realizada no Dia Internacional da Mulher, no dia 08 de março de 2017, na Galeria Olido, no centro de São Paulo. O Coletivo realizará um circuito de exibição do documentário em diferentes regiões da cidade, incluindo os bairros de Cidade Tiradentes, Campo Limpo, Guaianases e Perus, regiões de origem das mulheres retratadas.

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Nós, Carolinas (2017) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Aline Melo
Roteiro: Aline Melo
Produção: Aline Melo
Empresa Produtora: Coletivo Nós Mulheres da Periferia

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.