fbpx

Nydia Lícia (1927-2015)

Biografia

Nydia Licia Pincherle, em arte conhecido como Nydia Lícia, é uma atriz, professora de teatro e escritora ítalo-brasileira nascido em Trieste, na Itália, no dia 30 de abril de 1927.

Ainda na cidade natal italiana estudou dança rítmica e teatro infantil. Em 1939, veio para o Brasil e fixou residência em São Paulo, começando a cantar, em italiano, no Teatro Municipal. Participou da peça Francesca da Rimini, de Gabriele DAnnunzio. Ingressou no Colégio Mackenzie, um dos mais tradicionais de São Paulo, e participou de todos os eventos culturais da escola. Em 1948, começou a trabalhar no Museu de Arte Moderna e entrou para o Teatro Experimental, dirigido por Alfredo Mesquita, deixando de lado o canto lírico. Em 1949, inaugurou o Teatro Copacabana, no Rio de Janeiro, com a peça A Mulher do Próximo, de Abílio Pereira de Almeida.

Em 1950, casou-se com o ator Sérgio Cardoso, com quem teve uma filha, Sílvia Luíza, em 1952.

Já como profissional, Nydia Lícia foi para o TBC com a peça Entre Quatro Paredes. Em 1953, foi convidada a encabeçar o elenco da Companhia Dramática Nacional, criada pelo Ministério da Educação. Em 1956, inaugurou o Teatro Bela Vista, sede de muitas de suas atividades.

Estreou no cinema em 1950, em Quando a Noite Acaba, mas fez poucos filmes. Em 2002, retornando 46 anos depois, para participar do filme O Príncipe, de Ugo Giorgetti.

Na televisão, participou das novelas Sublime Obsessão (1958), Eu Amo esse Homem (1964), O Ébrio (1965), Éramos Seis (1977), João Brasileiro, o Bom Baiano (1978) e Ninho da Serpente (1982). Fez pouca televisão e cinema, priorizando o teatro em sua carreira artística.

Nos últimos anos de vida, foi professora de teatro na Faculdade de Comunicação da FAAP e se dedicou à literatura, tendo escrito várias biografias para a Coleção Aplauso, da Imprensa Oficial do Estado de São Paulo. Escreveu Leonardo Villar: Garra e Paixão, Sérgio Cardoso: Imagens de sua Arte, Rubens de Falco: um Internacional Ator Brasileiro, Raul Cortez: sem medo de se expor, Eu vivi o TBC e Célia Helena: uma atriz visceral. Além disso, escreveu o livro autobiográfico Ninguém se livra dos seus fantasmas editado pela Perspectiva. O trabalho sobre a vida de Raul Cortez recebeu o Prêmio Jabuti, em Biografias. Em 2008, foi agraciada com o Título de Cidadã Paulistana. Em 2010, recebeu o Prêmio Governador do Estado de Destaque Cultural.

Faleceu em São Paulo no dia 12 de dezembro de 2015.

Filmografia

2002 :: O Príncipe
1970 :: Amemo Nus (Inacabado)
1956 :: Quem Matou Anabela?
1951 :: Ângela
1950 :: Quando a Noite Acaba (Perdida pela Paixão)

Publicações

LICIA, Nydia. Célia Helena: uma atriz visceral. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.
______. Depoimentos IV. Rio de Janeiro: MEC; Funarte; SNT, 1978.
______. Eu vivi o TBC. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2007.
______. Leonardo Villar: Garra e Paixão. São Paulo: Fundação Padre Anchieta / Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2005.
______. Ninguém se livra dos seus fantasmas. São Paulo: Perspectiva, 2002.
______. Raul Cortez: sem medo de se expor. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2007.
______. Rubens de Falco: um Internacional Ator Brasileiro. São Paulo: Fundação Padre Anchieta / Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2005.
______. Sérgio Cardoso: Imagens de sua Arte. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2004.

Bibliografia

Livros:

LICIA, Nydia. Sérgio Cardoso: Imagens de sua Arte. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2004.
SILVA NETO, Antonio Leão da. Astros e estrelas do cinema brasileiro. 2. ed. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Nydia Lícia. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/nydia-licia/

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Artigos Relacionados