fbpx

O Doce Esporte do Sexo (1971)

Sinopse

POSTER O Doce Esporte do Sexo1 – “O Torneio”:
Duas cidades do interior disputam, há anos, um torneio de virilidade, sempre ganho por Lourenção. No último campeonato, um japonês do lado oposto vence por larga margem.

2 – “O filminho”:
Um grande industrial organiza uma noitada com filmes eróticos. Em outra casa, uma família tradicional prepara-se para exibir seu filminho inocente rodado nas férias. Acontece que o laboratório trocou as latas ao entregá-las. resultado: o grupo alegre vê uma película comum e a família austera, a fita erótica.

3 – “A boca”:
Tuneca tem a mania de regenerar prostitutas. Uma delas, Vanda, se cansa de tanta perseguição e Tuneca passa a paquerar a mulata Iolanda.

4 – “A suspeita”:
Dona Sinhá, mulher do Coronel Manuel Moreira, suspeita que ele tem uma amante, mas a verdade é bem outra: ela o flagra travestido nos braços de Imperial.

5- “O apartamento”:
Virgílio, rapaz tímido e desastrado, marca encontro com Irene num apartamento e, depois de mil peripécias, consegue realizar-se no amor, sob os aplausos dos vizinhos do prédio em frente.

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de O Doce Esporte do Sexo (1971) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Zelito Viana
Argumento: Oduvaldo Vianna Filho (Ep.1), Zelito Viana (Ep.2,4,5), Armando Costa (Ep.5), Arnaud Rodrigues (Ep.3) e Chico Anysio (Ep.3,4)
Roteiro: Zelito Viana e Armando Costa
Produção: Chico Anysio
Produção executiva: Tácito V. Quintans
Música: Benedito Melo
Sonografia: Walter Goulart
Fotografia: José Antônio Ventura
Cenografia: Joaquim Assis
Montagem: Eduardo Escorel
Co-produção: Produções Cinematográficas Mapa
Distribuição: Lívio Bruni

Bibliografia

Internet:

.

Fontes utilizadas:
Guia de Filmes, 37
Jornal do Brasil, 04.02.1972
Brasil Cinema, 1971, 6, p. 56

Fontes consultadas:
ALSN/DFB-LM
ACPJ/II

Observações:
ALSN/DFB-LM informa: Depois deste fracasso, o famoso humorista Chico Anísio ficou muitos anos afastado do cinema.
ACPJ/II e ALSN/DFB-LM apontam: sonografia de e música de Benedito Melo.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

4 comentários sobre “O Doce Esporte do Sexo (1971)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.