fbpx

O Homem do corpo fechado (1973)

Sinopse

No interior de Minas, mulher é mantida prisioneira pelo marido fazendeiro, mas se apaixona por um vaqueiro e foge com ele. Inconformado o marido manda pistoleiros e matador profissional à sua procura e tudo termina num duelo emocionante.

Elenco

Roberto Bomfim …. João de Deus
Esther Mellinger …. Dinorá
Mello, Angelito (Coronel Trajano)
Ribeiro, Milton (Cansanção)
Pariz, Lorival (Turibio)
Karan, Jorge
Polanah, Ruy
Cavalcanti, Emanuel
Souza, Ivan de
Ricci, Sérgio
Ângelo, Jota D’ (Dr. Durval)
Andrade, Renato
Reis, Miro
Neves, Geraldo
Cordeiro, Álvaro
Moura, Ernesto
Horta, Assis Alves
Pinto, Zenon
Araújo, Antônio
Prudêncio, Geraldo
Moradores de Conselheiro Mata
Moradores de Senhora da Glória
Moradores de Monjolos
Moradores de Rodeador

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de O Homem do corpo fechado (1973) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Schubert Magalhães
Argumento: Schubert Magalhães
Roteiro: Schubert Magalhães
Assistência de direção: Luiz, Antônio
Continuidade: Leal, Marília
Produção: Werneck, Flávio
Direção de produção: Souza, Ivan de
Produção executiva: Almeida, Victor de; Werneck, Flávio
Produtor associado: Almeida, Victor Hugo de
Assistência de produção: Ricci, Sérgio; Pacheco, César; Moura, Otávio Augusto Pinto de; Duarte, Martinho; Lima, Geraldo Prudêncio de; Barroso, Antônio; Vieira, Ernesto; Marques, Antônio Lisboa
Fotografia
Direção de fotografia: Oliveira, Osvaldo de
Assistência de câmera: Reis, Miro
Fotografia de cena: Ferreira, Jairo
Eletricista: Souza, Antônio de
Maquinista: Cordeiro, Álvaro
Engenharia de som: Vianna, Aloysio
Mixagem: Vianna, Aloysio
Sonografia: Vianna, Aloysio
Assistente de som: José, Geraldo; Antônio, César; Goulart, Walter
Montagem: Carneiro, Mário
Assistente de montagem: Magalhães, Ana Maria
Figurinos: Leal, Marília
Cenografia: Horta, Assis Alves
Letreiros: Carvalho, Walter
Montagem de cenário: Leal, Marília
Maquiagem: Sílvia, Maria
Música: Tavinho Moura
Trilha musical: Tavinho Moura
Companhia(s) produtora(s): Filmes D’El Rey Ltda.
Companhia(s) distribuidora(s): U.C.B. – União Cinematográfica Brasileira S.A.; Embrafilme – Empresa Brasileira de Filmes S.A.
Financimento/patrocínio: Banco do Desenvolvimento

Canção
Autor da canção: Moura, Tavinho
Instrumentista: Moura, Tavinho; Horta, Toninho; Antônio, Sirlan; Flávio, Aécio; Novell; Freitas,Moacir; Med, Bohumil e Andrade, Renato
Orquestração: Santos, Pedro

Locação: Diamantina – MG; Curvelo – MG

Prêmios

Prêmio Coruja de Ouro, 1972, do INC – Instituto Nacional de Cinema, de Melhor Sonografia para Vianna, Aloysio..
Menção Honrosa no Festival de Gramado, 1, 1973, Gramado, RS.

Bibliografia

Fontes utilizadas:
ALSN/DFB-LM
EP-VH/CMSF
Guia de Filmes, 43
Brasil Cinema, 1972, 7, p. 54
Festcinegramado/I
CA/AF
CB/EMB-110.2-00453
CB/EMB-110.1-00132
Programadora Brasil/5

Fontes consultadas:
Filme Cultura, v. 7, n. 23, p. 2 e 3, jan-fev. 1973
FCaxambu/85
ACPJ/II
PCM-70/80

Livros:

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. O Homem do corpo fechado. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/o-homem-do-corpo-fechado/

Observações:
Filme Cultura, jan-fev. 1973, informa que o filme recebeu boa cobertura crítica no Rio de Janeiro. Apresenta, ainda, uma entrevista em que o diretor diz ter se inspirado em um conto de Guimarães Rosa, em que “tudo ali, naqueles lugares, pelo que se vê e se sabe, não é o que deveria ser, mas o que é em verdade”.
FCaxambu/85 informa a participação do filme no 2º Festival de Caxambu, em 1985, MG. Com exibição em 11 de dezembro.
EP-VH/CMSF informa que “o filme foi visto na época – avaliação que resiste até hoje – como uma obra genuinamente mineira, com características originais da nossa humanidade e do nosso ambiente natural e cultural, magnificamente traduzidas pelos elementos constitutivos da obra cinematográfica, como atuação, fotografia, música, cenários e figurinos, ordenados por uma direção e uma montagem vigorosas.”
Brasil Cinema e Guia de Filmes indicam 1971 o ano de produção.
Programadora Brasil/5 informa que a obra participa do Programa 172, intitulado O homem do corpo fechado e famigerado. A mesma fonte informa que a obra possui 86 minutos de duração.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.