fbpx

O Jeca e a Égua Milagrosa (1980)

Sinopse

Na caça aos votos, dois fazendeiros fazem de tudo para se elegerem prefeito numa cidade do interior.

Os dois coronéis, Libório e Afonso, têm terreiros de umbanda e candomblé e utilizam os espaços para influenciar os moradores, arrebanhando fiéis para seus cultos e votos nas próximas eleições.

Raimundo é amigo do coronel Afonso. O fazendeiro Libório tem em seu terreiro, como atração, uma égua a quem os fiéis atribuem poderes de cura. Os milagres feitos pela égua correm pela cidade e contribuem para indispor Afonso e Libório.

Raimundo gosta muito do animal mas sua amizade com o coronel Afonso o afasta do pessoal do Libório. Diante das confusões que cria é obrigado a casar com a égua do fazendeiro. Os agitados comícios que antecedem as eleições e os meios utilizados por cada um dos coronéis garantirão a prefeitura.

O filme foi produzido nos estúdios da PAM Filmes, em Taubaté (SP), onde hoje ficam o Hotel Fazenda Mazzaropi e o Museu Mazzaropi.

O Jeca e a égua milagrosa foi o último filme de Amácio Mazzaropi.

Elenco

Amácio Mazzaropi
Prado, Geny
Ruiz, Turíbio
Valença, Gilda
Deffonso, Márcia
Toledo, André Luiz de
Branco, Vitor
Pirolito
Pinheiro, Paulo
Pimenta, Guiomar
Monteiro, Marly Franco
Velloni, José
Monteiro, Franco Alves
Monteiro, Luiz Ricardo
Damas, Will
Ribeiro, Augusto César
Paula, Roberval de
Faria, Crisógenes
Minelli Filho, José
Galampito
Negrini, Francisco
Barros, Francisco Tadeu Alves
Anibal, Carlos
Rosa, Elcio

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de O Jeca e a égua milagrosa (1980) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Pio Zamuner e Amácio Mazzaropi
Argumento: Amácio Mazzaropi
Roteiro: Kleber Afonso e Amácio Mazzaropi
Diálogos: Amácio Mazzaropi – Estória Baseado em idéia de Francisco Ferdinand de Carvalho Menezes
Produção: Amácio Mazzaropi, Carlos Garcia e André Luiz de Toledo
Diretor de produção: Carlos Garcia
Continuidade: Marta Salomão Jardini
Diretor de Fotografia: Pio Zamuner
Operador de Câmera: Virgílio Roveda
Assistente de Câmera: Antonio Francisco Rovagnoli
Focista: Virgílio Roveda
Fotografia de cena: Virgílio Roveda
Chefe eletricista: Pedro Kopchak
Eletricista: Rafael Bastos da Silva, Sergio Carvalho Dias, Guido José da Silva e Wilson da Silva Louzado
Maquinista: Nilson de Oliveira
Técnico de som: Norival Gonçalves de Moura
Operador de microfone: Nivaldo Gonçalves Moura
Montagem: Walter Wanni
Assistente de montagem: Valmir Dias
Cenografia: Amácio Mazzaropi
Maquiagem: Nena Viana
Música: Hector Lagna Fietta
Direção musical: Hector Lagna Fietta
Música original: Hector Lagna Fietta
Laboratório imagem: Revela S.A.
Cia Produtora: PAM Filmes – Taubaté (SP)
Distribuição: Amácio Mazzaropi Produção e Distribuição

Dados Adicional de Música:

Canções: “Minha toada” de Dolores Duran e Edson França, canta Mazzaropi;

Canção
Título: Minha toada;
Autor da canção: Duran, Dolores e França, Edson;
Intérprete: Mazzaropi;

“Sertão em flor” de Crisósthomo Faria, cantam Danilo e Daniel

Título: Sertão em Flor
Autor da canção: Faria, Crisósthomo
Intérprete: Danilo e Daniel

Ano de produção: 1980
Lançamento: 29.09.80, Porto Alegre, RS, circuito Real Vitória, Miramar

Bibliografia

Fontes de Referência:

Livros:

DUARTE, Paulo. Mazzaropi: uma antologia de risos. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2009.

FRESSATO, Soleni Biscouto. Caipira sim, trouxa não: representações da cultura popular no cinema de Mazzaropi. Salvador: EDUFBA, 2011.

MATOS, Marcela. Sai da Frente! – A Vida e a Obra de Mazzaropi. São Paulo: Desiderata, 2010.

PEREIRA JÚNIOR, Araken Campos. Cinema Brasileiro (1908-1978) – Longa-Metragem. V. 1. Santos: Casa do Cinema, 1979.

ROCHA, Glauber. Revisão crítica do cinema brasileiro.

TOLENTINO, Célia Aparecida Ferreira. O Rural no Cinema Brasileiro. São Paulo: Unesp, 2001.

Internet:

MUSEU MAZZAROPI. Disponível no endereço: http://www.museumazzaropi.com.br/. Acesso em: 28 de set. de 2011.

WIKIPEDIA. Disponível no endereço: http://pt.wikipedia.org/wiki/Amácio_Mazzaropi. Acesso em: 28 de set. de 2011.

Fontes utilizadas:
CB/Transcrição de letreiros-Cat
Guia de Filmes, 1980
Press-release
O Estado de S. Paulo, 28.09.1980 p.48
Concine/80

Fontes consultadas:
LFM/DCB
Jornal do Brasil, 09.02.1981 p.6 e 15.02.1981 p.10

Observações:
LFM/DCB grafa a companhia produtora como PAM Filmes – Produções Amácio Mazzaropi.
Carlos Garcia também aparece como produtor e a distribuidora PAM Filmes. O nome de Walter Wanni é grafado como Walter Wanny.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.