fbpx

O Malandro e a Grã-Fina (1947)

Sinopse

Pitico e Cláudio, vulgo Sabiá, dois malandros do morro que vivem de biscates, conhecem por acaso Ana Maria e Marta, duas vistosas e milionárias irmãs. Impressionadas pela bela voz de Sabiá, convidam os dois rapazes para uma festa, na qual um maestro, amigo da rica família, também fica fascinado pelo dom artístico do cantor de tendência lírica. Embora se sinta um ‘objeto’ nas mãos de Ana Maria, Sabiá aceita mudar-se para uma casa melhor para dedicar-se aos estudos, abandonando Noêmia, sua noiva. Pitico, percebendo a infelicidade de Noêmia, procura o amigo, mas Sabiá já havia declarado seu amor a Ana Maria. Embora bastante indisciplinado nos estudos musicais, a primeira apresentação de Sabiá é um grande sucesso; um empresário de óperas lhe oferece emprego para a próxima temporada lírica. Sabiá rompe oficialmente com Noêmia e convida sua mãe e Pitico para morarem com ele. Noêmia, indignada, agride verbalmente Ana Maria que evita romper com Sabiá ao saber notícias sobre a tristeza que se abateu sobre o cantor. Sabiá, desanimado, parece fadado a uma estréia fracassada. Pitico, que fora preso ao querer promover a apresentação do amigo, é libertado e, em companhia de Noêmia, comparece ao Teatro Municipal. A aparição de ambos traz uma nova alma a Sabiá que conquista a exigente platéia. O maestro se emociona com a apresentação do pupilo e Sabiá recebe uma carta de despedida de Ana Maria. Sabiá pede perdão a Noêmia e reata o antigo noivado.

Elenco

Suarez, Laura
Nonelli, Claudio
Silva Filho
Mar, Iris del
Dias, Julinha
Marchelli, Vicente
Trindade, Zé
Corrêa, Apolo
Martins, João
Lopez, Julia
Céo, Maria do
Harnisch Jr., Wolfgang
Deus, João de
Dias, Pedro
Lago, Hamilton
Alvarenga
Ranchinho (“os milionários do riso”)

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de O Malandro e a Grã-Fina (1947) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Luiz de Barros
Argumento: Henrique Pongetti
Roteiro: Luiz de Barros
Produção: Claudio Luiz, Araujo Filho e Carmen Santos
Direção de fotografia: Ruy Santos
Eletricista: Filgueira, Sergio
Direção de som: Amedeo, Riva; Viana, Roberto
Cenografia: Luporini, Antonio
Maquiagem: Niky
Penteados: Antenor
Direção musical: Guerra Peixe
Companhia Produtora: Brasil Vita Filmes S.A.
Companhia Distribuidora: U.C.B. – União Cinematográfica Brasileira S.A.

Dados adicionais de música
Partitura musical: Guerra Peixe

Canção
Título: Sorri;
Autor da canção: Claudio Luiz;

Título: Cabôcla;
Autor da canção: Claudio Luiz;

Título: Minha visinha;
Autor da canção: Claudio Luiz;

Título: Romance à moderna;
Autor da canção: Claudio Luiz;

Título: Mercedes;
Autor da canção: Claudio Luiz;

Título: Nervos de aço
Autor da canção: Lupicinio Rodrigues

Longa-metragem / Sonoro / Ficção

Material original
35mm, BP, 24q

Circuito exibidor:
Exibido em São Paulo de 30.08 a 05.09.1948, no Broadway; de 06 a 12.09.1948, no São Bento; de 11 a 17.10.1948, no Piratininga; de 18 a 24.10.1948, no Brás-Politeama; de 04 a 07.11.1948, no Lux; de 18 a 21.11.1948, no São Pedro; de 21 a 23.01.1949, no Ideal; de 24 a 26.01.1949, no Rialto; de 28 a 30.01.1949, no Oberdan; de 11 a 13.02.1949, no Carlos Gomes; de 17 a 20.02.1949, no Ipiranga-Palácio; de 25 a 27.02.1949, no Rex; de 14 a 16.11.1949, no Samarone.

Bibliografia

Fontes utilizadas:
Material examinado
JCB/Chan

Fontes consultadas:
ACPJ/I
LB/MMC
AV/ICB
CS/FF
JCB/Chan
SA/EMP
JIMS/OESP II

Livros:

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. O Malandro e a Grã-Fina. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/o-malandro-e-a-gra-fina/

Observações:
LB/MMC indica a cenografia de Luiz de Barros; produção de Carmen Santos; fotografia de Ruy Santos e Luiz de Barros e no elenco Rosita Rocha.
FCB/FF acrescenta, no elenco: Túlio Berti.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.