fbpx

O Ouro Branco (2009)

Sinopse

No final do século XVI, a Inquisição portuguesa chega ao Brasil. Surpreendidos, os moradores da Capitania de Pernambuco são incitados a denunciar práticas domésticas e religiosas associadas ao judaísmo e elegem Branca Dias, senhora de engenho, e sua filha Beatriz, a “Alcorcovada”, como os principais alvos das delações. Através de uma cuidadosa pesquisa histórica e iconográfica, o filme utiliza delicadas técnicas de pintura e requintados efeitos de animação para a reconstituição de cenas da época; que lhe conferem uma linguagem singular.

O documentário O Ouro Branco reforça e aprofunda a linha de atuação da Persona Filmes na recriação da cena histórica. Com 26 minutos de duração, o filme vai trilhar os caminhos que marcaram o surgimento dos engenhos de açúcar no Brasil, no século XVI.

Como parte do processo de criação do projeto “As Órfãs da Rainha”, o documentário será um produto autônomo e que enriquecerá a escassa produção brasileira voltada para as origens da construção do País. Sustentado em pesquisa detalhada de dados históricos, incluirá depoimentos de especialistas e a reconstituição de cenas. A iconografia do pintor Frans Post, o grande artista desse tempo, será central na proposta de O Ouro Branco.

O desafio a que se propõe a diretora Elza Cataldo é o de lançar um olhar singular sobre a história brasileira através das mulheres. A trajetória de Branca Dias é o fio condutor do roteiro, marcado pela conturbada vida desta cristã nova, senhora de engenho do século XVI e que foi denunciada ao Santo Ofício da Inquisição sob a acusação de judaísmo.

Eduardo Galeano, autor do livro As veias abertas da América Latina, entre outras obras seminais, chama atenção para a liderança que o Brasil ocupou na produção mundial de açúcar até meados do século XVII. Os capitais holandeses financiaram em maior medida o negócio, que foi, em resumo, mais flamengo do que português. Em torno do açúcar, a sociedade colonial brasileira floresceu na Bahia e Pernambuco e somente o descobrimento do ouro transferiria o seu núcleo central para Minas Gerais.

A realização de um filme histórico exige o cuidado de uma pesquisa aprofundada, assim como o conhecimento da iconografia e costumes da época abordada. O projeto do documentário “O Ouro Branco” reafirma essa estética já presente em trabalhos anteriores de Elza Cataldo, particularmente no filme “Vinho de Rosas”. A linguagem atenta aos detalhes e à sutileza dos movimentos conduz a um perfil de delicadeza visual, que pode se traduzir em singularidade.

O grande esforço exigido nos filmes históricos é uma das explicações para o panorama restrito da produção audiovisual nessa área no Brasil. Trata-se de uma lacuna artística frente a uma demanda expressiva, tanto do público em geral como das escolas. O documentário O Ouro Branco pode representar um instrumento pedagógico instigante e inovador, capaz de preservar a memória brasileira e valorizar a identidade nacional.

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de O Ouro Branco (2009) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Elza Cataldo
Empresa Produtora: Persona Filmes

Patrocinadores: BDMG – Impacto Conservação e Limpeza – Banco Bonsucesso – Bonsucesso Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários – Empresa Mineira de Hotelaria – Spress Informática – Master Turismo

Incentivo: Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte – Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizont

Brasil | Curta-metragem / Ficção (22 minutos, 2009

Bibliografia

Livros:

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. O Ouro Branco. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/o-ouro-branco/

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.