fbpx

O silêncio da noite é que tem sido testemunha das minhas amarguras (2018)

Trailer

Sinopse

Numa região do sertão, na divisa de Pernambucano com a Paraíba, se passa um fenômeno curioso. Pessoas nascem, vivem e morrem poetas, convivendo dia a dia com a arte da rima, entranhada no cotidiano da população, que perpetua a tradição ao longo de gerações. Aos versos de métricas exigentes fundem-se declamadores, sonetistas, cantadores, violas e o improviso. Além de Severina Branca, cuja noite é que tem sido testemunha de suas amarguras.

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de O silêncio da noite é que tem sido testemunha das minhas amarguras (2018) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Petrônio de Lorena
Roteiro: Narjara Medeiros e Petrônio de Lorena
Produção: Vilabela Produções
Distribuição: Inquieta Cine

Gênero: Documentário
Lançamento: 15/03/2018

Bibliografia

Livros:

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. O silêncio da noite é que tem sido testemunha das minhas amarguras (2018). Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/o-silencio-da-noite-e-que-tem-sido-testemunha-das-minhas-amarguras/

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.