fbpx

Orgia das taras (1980)

Sinopse

Wilson, um viajante, chega a uma cidade do interior paulista e procura um bordel. Envolvido numa briga entre prostitutas, é salvo por Marcos que lhe oferece trabalho em seu sítio. Marcos é traficante de drogas e seu sítio, um entreposto que fornece tóxicos para São Paulo e outras capitais, Wilson, a partir do momento que descobre as atividades do amigo, fica em perigo. O traficante arma um plano para levá-lo à loucura. Para isto, recebe ajuda de Silvia, membro da quadrilha. Esta, passando por mulher de Marcos, seduz o viajante. Simulando um flagrante entre os dois, Marcos provoca um tiroteio e finge de morto. Mas as balas são de festim. Silvia finge, então desaparecer com o cadáver, escondendo-o num bordel. Wilson assume o controle do tráfico, que envolve o prefeito e o médico da cidade. Mas logo percebe ser vítima de uma armadilha. Traído por todos Wilson se suicida.

Elenco

Scalvi, Patrícia (Silvia)
Mastrangi, Matilde (Jandira)
Porto, Flávio (Marcos)
Martan, Ju (Wilson)
Hingsth, Sérgio (Prefeito)
López, André (Dr. Flávio)
Castro, Celina (Joana)
Mark, Isa (Vera)
Campos, Péricles (Delegado Otávio)
Pine, Noelle (Beti)
Salvador, Ellen (Gerson)
Sarzi, Clayton (Walter)
Vera Mancini …. Geni
Duarte, Márcio (Onofre)
Rodrigues, Tereza (Kátia)
Coutinho, Marcelo (Cliente I)
Nanamy, Beth (Kioko)
Beraldo, Roberto (Cliente II)
Sampson, Wilson (Cliente III)
Cavalcanti, Wagner (Cliente IV)
Daourd, Suleiman (Genésio)
Gogoni, Roberto (Sérgio)
Grandi, Lando (Policial 1)

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Orgia das Taras (1980) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Luiz Castellini
Argumento: Luiz Castellini
Roteiro: Luiz Castellini
Assistência de direção: Costa, Antônio Celso Lopes da
Direção de atores: Luiz Castellini
Continuidade: Costa, Antônio Celso Lopes da
Produção: D’Ávila, J.; Mansur, Fauzi
Direção de produção: Daoud, Suleiman
Produção executiva: Scarlati Jr., Alfredo
Produtor associado: Bork, Jayme; Saad, Nure
Assistência de produção: Cohen, Michel; Flavio José
Gerente de produção: Rosa, Albary F.
Direção de fotografia: Abril, Gesvaldo Arjones
Câmera: Abril, Gesvaldo Arjones
Assistência de câmera: Tardoque, Dionísio
Fotografia de cena: Achôa Filho, Jorge
Chefe eletricista: Souza, Luiz A. Munhoz
Maquinista: Souza Arlindo X.
Técnico de som: Cabalar, Julio P.; Macedo, Orlando
Sonografia: Nobile, Pedro Luiz
Efeitos especiais de som: Gaiotti, Heitor
Montagem: Alencar, João de
Figurinos: Yzaji, Yzat
Cenografia: Yzaji, Yzat
Consultoria de cor: Araújo, Deoclécio de
Decoração: O Lixão
Maquiagem: Giglioti, Cecílio; Vitale, Jô
Música de: Záccaro, Augustinho; Danelo, Dick
Companhia(s) produtora(s): Virgínia Filmes
Companhia(s) produtora(s) associada(s): GS Publicidade Ltda.
Companhia(s) distribuidora(s): Nacional Alfa Filmes

Brasil | Dramas | cor | 82 min. | 35mm | 1980

Bibliografia

Fontes utilizadas:
CB/Transcrição de letreiros-Cat
CB/Ficha Filmográfica
CB/Recorte Documentação, P.1980-7/382, Homem, n.25, set. 1980.
Guia de Filmes, 1980
Concine/80

Fontes consultadas:
O Estado de S. Paulo, 12.10.1980 p. 19
Jornal da Tarde, 13.10.1980 p.19

Livros:

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Orgia das Taras. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/orgia-das-taras/

Observações:
Letriros iniciais indicam: número de registro Embrafilme res. 91/73 res. Concine 02/76. Letreiros iniciais indicam: , primeiro assistente de produção, e José Flavio, segundo assistente de produção. Guia de Filmes indica: produtor associado e ; diretor de produção ; produtor executivo .
ALSN/DFB-LM indica como companhia produtora: Fauzi A. Mansur Cinematográfica.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Um comentário em “Orgia das taras (1980)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.