fbpx

Os Deuses e os Mortos (1970)

Sinopse

Sul da Bahia, década de 30. O Homem – um aventureiro sem nome, sete vezes baleado – se intromete na luta entre dois clãs de grandes ‘coronéis’ pela posse da terra do cacau. A economia cacaueira sofre uma depressão causada pelo controle que os ingleses exercem sobre os preços internacionais. O Homem vem disposto a acirrar a luta e a tomar conta de tudo. É uma luta sem vencedores, um banho de sangue que também lhe custa a vida.

Elenco

Norma Bengell
Othon Bastos …. O Homem
Itala Nandi …. Sereno
Nelson Xavier …. Valu
Jorge Chaia …. Coronel Santana
Dina Sfat …. A Louca
Bengell, Norma …. Soledade
Polanah, Rui (Urbano)
Bocayuva, Vera (Jura)
Kleemann, Fred (Homem de branco)
Salvatore, Vinícius (Cosme)
Rúbia, Mara (Prostituta)
Menezes, Monsueto (Meu Anjo)
Nascimento, Milton (Dim Dum)
Saboia, Gilberto (Banqueiro)
Tavares, José Roberto (Aurélio)
Carvalho, Aulo Berbert de
Habitantes de Ilhéus
Habitantes de Itajuípe
Habitantes de Rio do Braço
Habitantes de Aritagua
Habitantes de Milagres

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Os Deuses e os Mortos (1970) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Ruy Guerra
Argumento: Ruy Guerra
Diálogos: Ruy Guerra
Adaptação: Império, Flávio; José, Paulo e Ruy Guerra
Assistência de direção: Polanah, Rui; Lacreta, Rose; Carvalho, Roberto; Bastos, Ronaldo
Produção: Rosenberg, J. Fredy; Eckstein, K. M.
Produção executiva: José, Paulo
Produtor associado: Thedim, Cesar
Assistência de produção: Fiorani, Mario; Albuquerque, Marcello; Mariani, Ana Thereza; Silva, Genaldo; Tavares, José Roberto; Chaves, Max Lopes
Direção de fotografia: Dib Lutfi
Câmera: Dib Lutfi
Assistência de câmera: Nunes, Ronaldo; Silva, Celso da
Fotografia de cena: Ventura, José Antonio
Eletricista: Vieira, José; Peçanha, Delmindo
Maquinista: Carvalho, José P.
Direção de som: Nelson Xavier
Técnico de som: Tavares, José; Ribeiro, Nelson; Tavares, Luiz; Brandão, Luiz C.
Engenharia de som: Mendes, Nelson
Efeitos sonoros: José, Geraldo; Cezar, Antonio
Montagem: Ruy Guerra, Sérgio Sanz, Lacreta, Rose; Carvalho, Roberto; O’hana, Nazareth; Câmara, Isabel
Figurinos: Weinstock, Marcos
Cenografia: Weinstock, Marcos
Programação visual: Estúdio Noguchi
Maquiagem: Nena
Trilha musical: Milton Nascimento
Companhias Produtoras: Companhia Cinematográfica de Filmes Brasileiros – Rio; Daga Filmes Produções Cinematográficas – Rio
Companhia co-produtora: Grupo Filmes – Rio
Companhia Produtora(s) associada(s): Vera Cruz – SP
Companhia Distribuidora: Columbia Filmes

Dados adicionais de música:
Título da música: A Canhoneira
Música de: Nascimento, Milton e Ruy Guerra
Intérprete(s): Nascimento, Milton e O Som Imaginário

Locação: Aritagua – localidade; Ilhéus – BA; Itajuipe – localidade; Milagres – localidade; Rio do Braço – localidade; BA

Prêmios

Melhor Filme; Melhor diretor; Melhor Ator para Bastos, Othon; Melhor atriz para Sfat, Dina; Melhor Fotografia; Melhor Cenografia e Melhor Música no Festival de Brasília, 6, 1970, Brasília – DF..
Prêmio Coruja de Ouro, 1970, do INC – Instituto Nacional de Cinema de Melhor Atriz para Nandi, Ítala; Melhor Fotografia, Melhor Som, Melhor Atriz Coadjuvante para Rúbia, Maria e Melhor Ator Coadjuvante para Xavier, Nelson..
Melhor filme, Melhor Direção e Melhor fotografia no Rencontre Internationale du Cinéma et de Jeunesse de Grenoble, 1971, Grenoble – FR..
Golfinho de Ouro, 1971 – RJ..
Prêmio Dama del Paraguas da Semana Internacional de Cine in Color, 1971, Barcelona – ES..
Prêmio Adicional de Qualidade, 1974 do INC – Instituto Nacional de Cinema.

Bibliografia

Fontes utilizadas:
CB/Transcrição de letreiros-Cat
FBCU/8
FBR/16
Guia de Filmes

Fontes consultadas:
FICBrasília/2003
FBR/6

Livros:

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Os Deuses e os Mortos. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/os-deuses-e-os-mortos/

Observações:
Guia de Filmes indica estréia nacional em Ilhéus, a 12 de dezembro de 1970 e lançamento, no Rio de Janeiro, a 30 de agosto de 1971, em bom circuito.
Guia de Filmes indica participação nos festivais: 23º Festival de Cannes, 1970 – FR, fora de competição. 20º Festival de Berlim, 1970 – DE.
FICBrasília/2003 indica 120 minutos de duração.
Depois de creditar Vera Cruz, letreiros indicam Vitalle.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

2 comentários sobre “Os Deuses e os Mortos (1970)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.