fbpx

Os Inconfidentes (1972)

História da conspiração de uma elite social – padres, juízes, poetas, militares – para libertar o Brasil da opressão portuguesa em fins do século XVIII. Em meio ao grupo, um suboficial, o alferes Joaquim da Silva Xavier, conhecido como o Tiradentes, é o mais disposto a levar às últimas conseqüências a sonhada revolução. Durante três anos de prisão incomunicável, sucedem-se interrogatórios, ameaças e horrores que torcem a idéia, o caráter e a memória dos presos. Tiradentes é torturado para confessar sua participação na insurreição contra a coroa portuguesa. Os demais envolvidos procuram se isentar da responsabilidade maior e Claudio Manoel mata-se na prisão. Tiradentes assume a culpa. A rainha comuta a pena capital a todos e o enforcamento do suboficial é encenado diante de um grande público. Seguem-se as homenagens contemporâneas ao mártir.

Com base nos Autos da devassa, na poesia dos inconfidentes e de Cecília Meireles, Joaquim Pedro de Andrade contesta versões oficiais da história da Inconfidência Mineira, e trata da posição de intelectuais diante da prática de políticas revolucionárias.

Realizado para a TV italiana, a RAI, como parte da série intitulada A América Latina vista por seus realizadores, Os Inconfidentes foi sucesso internacional de crítica e de público, tendo sido premiado no Festival de Veneza.

Elenco

José Wilker …. Tiradentes
Luis Linhares …. Tomás Antonio Gonzaga
Paulo César Pereio …. Alvarenga Peixoto
Fernando Torres …. Claudio Manuel da Costa
Carlos Kroeber …. Coronel Francisco de Paula
Nelson Dantas …. Padre Toledo
Carlos Gregório …. Maciel
Fábio Sabag …. Visconde de Barbacena
Wilson Grey …. Joaquim Silvério dos Reis
Roberto Maya …. Inquisidor
Margarida Rey …. Rainha de Portugal, Maria I
Tereza Medina …. Barbara Heliodora
Suzana Gonçalves …. Marilia
Zorah
Ricardo Teixeira de Salles
Benedito Silva
Marilia Pereira
Orlandino Seitas Fernandes
Helvecio Ferreira
José Aurélio Vieira

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Os Inconfidentes (1972) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Joaquim Pedro de Andrade
Roteiro: Joaquim Pedro de Andrade e Eduardo Escorel
Estória Baseada em diálogos retirados de O Romanceiro da Inconfidência, de Cecília Meirelles, nos Autos da Devassa e em versos de Thomaz Antonio Gonzaga, Cláudio Manoel da Costa e Inácio José de Alvarenga Peixoto
Assistência de direção: Gilberto Loureiro
Direção de produção: Carlos Alberto Prates Correia
Assistência de produção: Milton Gontijo; Vitorino Dias; Jair Fonseca; Mario Almeida e Alvaro Freire
Direção de fotografia: Pedro de Moraes
Operador de Câmera: Pedro de Moraes
Assistência de fotografia: José Antonio Ventura
Eletricista: José Dias
Assistente de Eletricista: Jamil Lopes de Souza
Cenografia: Anisio Medeiros
Figurinos: Anisio Medeiros
Penteados: Dulce Orozco
Vestuário: Anisio Medeiros
Guarda-roupa: Marise Guimarães
Letreiros: Gilberto Loureiro
Montagem: Eduardo Escorel
Assistente de montagem: Amauri Alves
Direção de som: Juarez Dagoberto da Costa
Técnico de som: Tavares, José; Raposeiro, Victor
Som direto: Juarez Dagoberto da Costa
Música: Marlos Nobre
Companhia Produtora: Filmes do Sêrro
Companhia Produtora Associada: Grupo Filmes | Mapa Filmes S.A.
Companhias Distribuidoras: Mapa Filmes | Embrafilme – Empresa Brasileira de Filmes S.A.

Brasil | cor | 82 min. | 2.250m | 35mm | 24q | Eastmancolor | 1:1’37 | 1972

Dados adicionais de música:
Título da música: Aquarela do Brasil
Música de: Ary Barroso
Intérprete: Antonio Carlos Jobim

Título da música: Farolito
Música de: Augustin Lara
Intérprete: João Gilberto

Locação: Ouro Preto – MG

Prêmios

Prêmio Air France de Cinema, 6, 1972 de Melhor Filme..
Prêmio Golfinho de Ouro, 1972, do Museu da Imagem e do Som, RJ..
Prêmio Comitê de Artes e Letras no Festival Internacional de Veneza, 33, 1972 – IT..
Prêmio APCA, 1972, SP, Troféu Carlitos, de Melhor Filme.

Bibliografia

Fontes utilizadas:
CB/Transcrição de letreiros-Cat
CB/FIBRA
Guia de Filmes, 39
Brasil Cinema, 1972
O Estado de S. Paulo, 13.08.1972
FMAL-CB/RJPA
CCSP/LMP
CB/EMB-110.2-00482

Fontes consultadas:
ACPJ/II
ALSN/DFB-LM
Jornal da Tarde, 18.01.1972.

Livros:

MEIRELLES, Cecília. O Romanceiro da Inconfidência, nos Autos da Devassa e em versos de Thomaz Antonio Gonzaga, Cláudio Manoel da Costa e Inácio José de Alvarenga Peixoto.

Internet:

CINE EUGENIO. http://cineugenio.blogspot.com/2014/08/a-devassa-da-devassa-por-joaquim-pedro.html
HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Os Inconfidentes. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/os-inconfidentes/

Observações:
Guia de Filmes informa: censura 10 anos; distribuição internacional pela R.A.I. – TV italiana sob o título de La Congiura.
A mesma fonte informa que logo após o lançamento nos cinemas o filme foi exibido na televisão pela rede Globo.
ACPJ/II acrescenta o gerente de produção Carlos A. P. Correa; figurinos de Teresa Nicolau e a distribuição da Servicine.
Jornal da Tarde, 18.01.1972, informa que o filme “custou 500 mil cruzeiros, conseguidos com um adiantamento da Rádio e TV italianas, que comprou os direitos de exibição no exterior. O filme foi feito sem nenhuma participação do Instituto Nacional de Cinema, da Embrafilme ou do Ministério da Educação“. E que, segundo o diretor, a recusa de apoio se deu por acreditar se tratar de uma visão da Inconfidência que não coincide com a versão oficial.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]