fbpx

Paulinho da Viola – Meu tempo é hoje (2003)

Trailer

Sinopse

POSTER Paulinho da Viola meu tempo e hojeO documentário gravado em 2003 nos leva a conhecer um pouco mais e mais a fundo a carreira, as influências e os influenciados pelas musicas e harmonias únicas de Paulinho da Viola.

Com direção de Izabel Jaguaribe, Paulinho mostra timidamente sua rotina, com toda sua calma e sutileza nos fala sobre seu amor pela música, a influência de seu pai Cesar Faria, violonista de primeira pertencente a velha guarda do choro e é claro, uma boa dose do seu amor pela Portela. Conta como sua casa vivia sempre recheada de música, com visitas frequentes de Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Altamiro Carrilho entre outras lendas da música nacional.

Passam também pelo documentário Rafael Rabello, infelizmente falecido, um dos maiores violonistas, não só da sua geração, Marisa Monte (que fez uma linda regravação de Dança da Solidão), Zeca Pagodinho entre outras feras da música.

O longa conta com Zuenir Ventura que conduz as entrevistas. Para homenagear o sambista, o filme revela o perfil de um dos maiores mestres populares da música brasileira. Com natureza musical, o documentário intimista procura ser uma biografia cantada ao ritmo do melhor do samba na vida de Paulinho da Viola. Entre o O sol nascerá, Carinhoso e outros clássicos, o documentário nos dá uma aula sobre o samba, a estrada percorrida e as pessoas que contribuíram, à sua maneira, para a propagação do gênero.

Elenco

Paulinho da Viola
Zuenir Ventura
Cesar Faria
Pixinguinha
Jacob do Bandolim
Altamiro Carrilho
Rafael Rabello
Marisa Monte
Zeca Pagodinho
Marina Lima
Elton Medeiros
Monarco
Velha Guarda da Portela

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Paulinho da Viola – Meu tempo é hoje (2003) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Izabel Jaguaribe
Argumento: Zuenir Ventura
Roteiro: Izabel Jaguaribe, Zuenir Ventura e Joana Ventura
Assistência de direção: Araujo, Monica; Moraes, Júlia
Direção de produção: Bruno, Beto
Produção executiva: Ramos, Maurício Andrade
Assistência de produção: Pontual, Mito
Coordenação de produção: Zangrandi, Raquel Freire
Motorista: Oliveira, Andir de; Martinez, Carlos
Direção de fotografia: Zangrandi, Flávio
Assistência de câmera: Bellezia, Alberto; Gustavo, Cláudio; Salgado, Milena; May, Cindy
Fotografia adicional: Zangrandi, Reynaldo; Campe, Silvestre
Eletricista: Manhães, Aridalto da Rocha; Mariano, José Cláudio
Maquinista: Silva, Odilon; Amar, Hallfman de
Som direto: Compasso, Aloysio
Mixagem: Campos, Denilson
Sonografia: Campos, Denilson
Montagem: Joana Ventura e Izabel Jaguaribe
Direção de arte: Duarte, Kiti
Assistência de direção de arte: Barcala, Patricia; Lúdika, Janaína
Montagem de cenário: Armazem Cultural; Fernandes, João dos Santos
Empresa Produtora: Videofilmes
Financimento/patrocínio: Brasil Telecom

Dados adicionais de música
Título da música: Bebadosamba (Chamamento);
Música de: Viola, Paulinho da;

Título da música: Meu mundo é hoje;
Música de: Batista, Wilson e Batista, José;

Título da música: Cochichando;
Música de: Pixinguinha; Barro, João de e Ribeiro, Alberto;

Título da música: Choro de memórias;
Música de: Viola, Paulinho da;

Título da música: 14 anos;
Música de: Viola, Paulinho da;

Título da música: Recado;
Música de: Viola, Paulinho da e Casquinha;

Título da música: Sol nascerá, O;
Música de: Medeiros, Elton e Cartola;

Título da música: Jurar com lágrimas;
Música de: Viola, Paulinho da;

Título da música: Passado de glória;
Música de: Monarco;

Título da música: De Paulo da Portela a Paulinho da Viola;
Música de: Monarco e Santana, Francisco;

Título da música: Pecadora;
Música de: Pecadora, Joãozinho da e Cavaco, Jair do;

Título da música: Retiro;
Música de: Viola, Paulinho da;

Título da música: Choro negro;
Música de: Viola, Paulinho da e Costa, Fernando;

Título da música: Argumento;
Música de: Viola, Paulinho da;

Título da música: Pra fugir da saudade;
Música de: Viola, Paulinho da e Medeiros, Elton;

Título da música: Coisas do mundo, minha nega;
Música de: Viola, Paulinho da;

Título da música: Sinal fechado;
Música de: Viola, Paulinho da;

Título da música: Para um amor no Recife;
Música de: Viola, Paulinho da;

Título da música: Ruas que sonhei;
Música de: Viola, Paulinho da;

Título da música: Não quero você assim;
Música de: Viola, Paulinho da;

Título da música: Dança da solidão;
Música de: Viola, Paulinho da;

Título da música: Rosinha, essa menina;
Música de: Viola, Paulinho da;

Título da música: Chora cavaquinho;
Música de: Dunga;

Título da música: Pelos vinte;
Música de: Viola, Paulinho da e Natureza, Sérgio;

Título da música: Filosofia;
Música de: Rosa, Noel;

Título da música: Conflito;
Música de: Diniz, Marcos e Jacarezinho, Barbeirinho do;

Título da música: No pagode do Vavá;
Música de: Viola, Paulinho da;

Título da música: É um calo só;
Música de: Gordurinha;

Título da música: Amor e Cia. Ltda.;
Música de: Rocha Sobrinho, José Carlos da e Silva, Anatalício Rodrigues da;
Intérprete(s): Gordurinha

Título da música: Foi um rio que passou em minha vida;
Música de: Viola, Paulinho da;

Título da música: Sarau para Raphael, Um
Música de: Viola, Paulinho da

Prêmios

:: Margarida de Prata da CNBB, 2003 – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, Rio de Janeiro, RJ.

Bibliografia

Fontes utilizadas:
CB/Transcrição de letreiros-Cat
FBR/37MFB
Site, CNBB, disponível em: www.cnbb.br/site/imagens/arquivos/files_49b12ee5469cb.pdf, acesso em: 01.07.2011

Fontes consultadas:
FBR/36MFB

Observações:
FBR/37MFB grafa o título do filme como PAULINHO DA VIOLA – MEU TEMPO É HOJE. Indica ainda 2003 como ano de produção do filme.
Os letreiros do filme especificam: “assistente de direção / pré produção” – Júlia Moraes; “câmera adicional” – Reynaldo Zangrandi e Silvestre Campe.

Internet:

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.