fbpx

Paulo Villaça (1936-1992)

FOTO Paulo VillacaPaulo Villaça foi um ator e cineasta brasileiro nascido em São Paulo (SP) em 1936.

Foi professor de literatura, jornalista e publicitário, antes de se tornar ator profissional.

Em 1960, como bolsista de Literatura em Paris, descobriu o palco a partir do encontro com Antunes Filho e Antonio Abujamra. A carreira no teatro principia em 1964, quando concluiu o curso pela Escola de Arte Dramática (EAD) de São Paulo. Tem uma rápida passagem pelo Teatro Oficina de José Celso Martinez Corrêa, mas não se identificou com o que definiu de elitismo do grupo e logo formou seu próprio grupo, com a colega de EAD, Yara Amaral. Sua primeira peça foi O Cinto Acusador, em sequência, Navalha na Carne, Fala Baixo Senão Eu Grito.

Estreou no cinema em 1967, no filme O Matador, mas seu grande momento aconteceu no ano seguinte, com O Bandido da Luz Vermelha, sucesso nacional que o consagra.

Em 1970, mudou-se para Londres e conheceu o guitarrista Mick Taylor, dos Rolling Stones, indo inclusive morar na sua casa e convivendo com grandes astros do rock.

De volta ao Brasil, atuou nos filmes Um Pistoleiro Chamado Caviúna (1972) e O Homem da Capa Preta (1986), consolidando sua carreira cinematográfica. Por seu rosto anguloso, de traços marcantes, foi o escolhido natural para interpretar bandidos, marginais, tipos durões, que nada tem a ver com sua personalidade delicada e de refinada cultura. Esporadicamente fez teatro também.

Trabalhou muito também na televisão, em várias novelas e minisséries, sendo sua estreia em 1967, em O Morro dos Ventos Uivantes, depois O Bofe (1972), Os Adolescentes (1981), Tudo em Cima (1985), Chapadão do Bugre (1988) e Colônia Cecília (1989), sua última novela.

Faleceu aos 56 anos, no Rio de Janeiro, em 24 de janeiro de 1992, por complicações decorrentes do vírus da AIDS.

Filmografia

:: Filmografia como Ator ::

1992 :: Perfume de Gardênia
1992 :: A Floresta da Tijuca (CM)
1990 :: Curta a Lapa (CM)
1990 :: The Fifth Monkey (O Quinto Macaco) (EUA)
1988 :: Prisioneiro do Rio (Prisioner of Rio) (Brasil/Polônia/Suíça)
1988 :: Eternamente Pagu
1988 :: Banana Split
1988 :: A Dama do Cine Shanghai
1987 :: Quincas Borba
1987 :: Leila Diniz
1986 :: O Homem da Capa Preta
1986 :: Fulaninha
1983 :: Aventuras de um Paraíba (de Marco Altberg)
1982 :: Rio Babilônia
1981 :: O Torturador
1980 :: O Gigante da América
1979 :: Nos Embalos de Ipanema
1979 :: Os Trombadinhas
1979 :: República dos Assassinos
1979 :: O Princípio do Prazer
1978 :: A Dama do Lotação
1977 :: Viagem e Descrição do Rio Guanabara por Ocasião da França Antártica (CM)
1977 :: Gente Fina é Outra Coisa (Episódio: A Guerra da Lagosta)
1977 :: Ajuricaba, o Rebelde da Amazônia
1977 :: Nos Embalos de Ipanema
1975 :: Paranóia
1974 :: O Forte
1973 :: Sagarana, o Duelo
1972 :: Revólveres Não Cospem Flores
1972 :: Surucucu d’Almeida (CM)
1972 :: Surucucu Catiripapo
1972 :: Introdução à Sacanagem Interna
1972 :: Um Pistoleiro Chamado Caviúna
1971 :: Lobisomem, o Terror da Meia-Noite
1971 :: Lúcia McCartney, uma Garota de Programa
1970 :: Os Senhores da Terra
1970 :: Perdidos e Malditos
1970 :: Beto Rockfeller
1970 :: Copacabana Mon Amour
1970 :: Mangue Bangue
1969 :: A Mulher de Todos
1968 :: Jardim de Guerra
1968 :: O Bandido da Luz Vermelha
1967 :: O Matador

:: Filmografia como Diretor ::

1985 :: O Transformista (CM)

Bibliografia

Livros:

SILVA NETO, Antonio Leão da. Astros e estrelas do cinema brasileiro. 2. ed. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Paulo Villaça. Disponível no endereço: https://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/paulo-villaca/

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Um comentário em “Paulo Villaça (1936-1992)

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.