fbpx

Prefeitura de São Paulo quer comprar prédio do Cine Belas Artes

Notícia

FOTO Cine Belas Artes - FachadaA gestão do prefeito Fernando Haddad (PT) planeja desapropriar o prédio onde funcionou o Cine Belas Artes e transformá-lo em espaço cultural da Prefeitura de São Paulo. O novo secretário municipal de Cultura, Juca Ferreira, tem como uma das primeiras tarefas pôr fim à polêmica criada após o fechamento do cinema, em 2011. Ferreira estuda declarar de utilidade pública o imóvel para evitar uma possível ocupação comercial, como pretende o atual proprietário.

Segundo Fábio Luchesi Filho, advogado de Flávio Maluf, dono do imóvel, as negociações para alugá-lo estão em “fase avançada”. “Logo, logo, vocês vão ver uma loja funcionando ali”, disse ontem ao Estado. A maior dificuldade em transformar o imóvel é o fato de a fachada ser tombada (veja quadro). Hoje, o prédio está pichado e abandonado.

O secretário Juca Ferreira tem como viabilizar a requalificação do prédio por meio de dois projetos de lei que passaram a tramitar na Câmara Municipal no dia 2. Assinados por seis vereadores, entre eles dois secretários do atual governo, Eliseu Gabriel (Trabalho e Empreendedorismo) e Chico Macena (Coordenação das Subprefeituras), as propostas permitem que o Município declare de utilidade pública o prédio do antigo cinema.

O próprio Gabriel se reuniu com Ferreira anteontem para tratar do assunto. O secretário do Trabalho apresentou dados da CPI do Belas Artes, encerrada no ano passado, que recolheu assinaturas de mais de 7 mil pessoas e 70 entidades e organizações não-governamentais favoráveis à volta do cinema.

Parceria

Nos próximos dias, o secretário de Cultura vai receber representantes do Movimento Belas Artes (MBA), entidade que defende a manutenção de um cinema de arte no espaço. Uma das ideias do governo é comprar o imóvel e tentar uma parceria com a iniciativa privada para transformá-lo em centro multicultural, com exposições e filmes de arte.

“Estou esperançoso. O poder público está tendo uma visão abrangente. Cultura não é só entretenimento. É economia, é educação, é saúde para quem a consome”, disse o escritor Afonso Júnior, um dos integrantes do MBA.

Prioridades

Apesar de destacar que a desapropriação “é a única medida jurídica que garante o uso do prédio como cinema”, diferentemente do tombamento, o advogado Marcelo Manhães, representante da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio (Conpresp), acredita que a decisão do governo Fernando Haddad é uma “medida política”. “O público que hoje frequenta cinema de rua é muito restrito e o dinheiro pode ser aplicado em outras prioridades”, afirma. “Não é o espaço que retrata a importância do cinema, e sim o conceito dele. Então pode ser em outro lugar, não naquela localização tão famosa e tão cara.”

Procurado, Eliseu Gabriel não respondeu as ligações da reportagem. A assessoria de imprensa de Haddad confirmou que o governo estuda desapropriar o imóvel.

Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,prefeitura-quer-comprar-predio-do-cine-belas-artes,982011,0.htm

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.