fbpx

Primeiro Plano 2011 – Festival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades

Evento

Comemorando a décima edição, o Primeiro Plano 2011 – Festival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades teve como tema Olha de Novo, fazendo uma análise de suas edições passadas em busca do que foi feito de melhor no evento. Ao longo dos seis dias, foram exibidos seis longas de diretores estreantes e mais de 50 curtas, nas mostras competitivas e de Mercocidades. O festival teve também a estreia do filme contemplado com o Prêmio Incentivo Primeiro Plano 3 e a Sessão Escola.

Uma realização do Luzes da Cidade – Grupo de Cinéfilos e Produtores Culturais, com patrocínio do Ministério da Cultura/ Fundo Nacional de Cultura/ Secretaria do Audiovisual, da Prefeitura de Juiz de Fora/Funalfa, da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), com apoio inestimável do Shopping Alameda; do CTAv; da Videosol; da Power Line; da Cachaça DuBotti; da Asociación Cine Tandil/Festival Nacional de Cortometrajes; do Queijos Cruzília; do Duduxo Alimentos; do Posto 9; do Chico Rei; da Planet Music; do Centro Cultural Bernardo Mascarenhas; da Casa de Cultura da UFJF; do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFJF; da Faculdade de Comunicação da UFJF; do Instituto Brasileiro de Audiovisual/Escola de Cinema Darcy Ribeiro; da Timboo; da Associação Festival Brasileiro de Cinema Universitário; d’A Terceira Margem; da Leitura; do Vaporetto; do Sabor & Arte; do Muzik; do Social; do Chimarron; da Bravon, com promoção do Canal Brasil; da Revista de Cinema; da Revista Coquetel e do Porta Curtas, o prêmio Incentivo Primeiro Plano só foi possível com o apoio da Universidade Federal de Juiz de Fora, do CTAv, da Fuji Film, da Mega Color, do CiaRio, da Link Digital, da Dolby Digital e do Meios e Mídia, o festival aconteceu entre os dias 28 de novembro a 03 de dezembro de 2011 no Espaço Alameda de Cinema e na Casa de Cultura da UFJF.

O evento abriu com Bomba, de Francisco Franco, terceiro curta produzido com os recursos do Prêmio Incentivo Primeiro Plano, com o curta argentino Luminaris, de Juan Pablo Zaramella e com o longa A hora e a vez de Augusto Matraga, de Vinícius Coimbra. Exibiu, ainda, 80 trabalhos dentro das mostras competitivas de filmes nacional e regional, além da Sessão Escola, da Mostra Mercocidades, da Mostra Filme em Minas, do projeto Ver e Fazer Filmes e da Mostra Audiovisual de Juiz de Fora.

A semana seguiu com as pré-estreias dos longas Os Famosos e Os Duendes da Morte, de Esmir Filho, Rainhas, de Fernanda Tornaghi e Ricardo Bruno, A Faltas que Nos Move, de Christiane Jatahy e Andres não quer dormir a sesta, de Daniel Bustamante.

No Resgate Primeiro Plano, foi exibido o filme O Ébrio, de Gilda de Abreu. O festival também organizou o 4° Encontro Internacional Audiovisual, no qual foi discutido o fazer cinematográfico sulamericano. Houve ainda debates com os diretores e oficinas gratuitas. Tivemos um público estimado em seis mil pessoas. O festival recebeu convidados de várias partes do Brasil.

Neste ano, o festival premiou pela quarta vez, com R$ 5.000 e outros recursos, a equipe do melhor curta universitário da cidade eleito por um júri.

Selecionados

Mostra Competitiva Nacional

A Arte de Andar Pelas Ruas de Brasília, de Rafaela Camelo;
A Obscena Senhora Silêncio, de Leandra Lambert e Alexandre Gwaz;
A Menor Distância entre Dois Pontos, de Bruno Nina e Elias Guerra;
Aphasia, de Cainan Baladez;
Braxília, de Danyella Proença;
Caos, de Fábio Baldo;
César!, de Gustavo Suzuki;
Cine Camelô, de Clarissa Knoll;
Distantes, de Bruno Peres;
Entre Muros, de Adriana Tenório;
Flash, de Alison Zago;
Julie, Agosto e Setembro, de Jarleo Barbosa;
Lápis de Cor, de Alice Gomes;
Metafísica, de Eduardo Gomes;
Monja, de Breno Baptista;
O Cão, de Abel Roland e Emiliano Cunha;
O Hóspede, de Anacã Agra e Ramon Porto Mota;
Pétala, de Vitor Dourado;
Qual Queijo Você Quer?, de Cíntia Domit Bittar;
Redoma, de Noelle Rodrigues;
Rotina Matinal, de Daniel Donato;
Tempo de Criança, de Wagner Novais;
Uma Noite, de Daniela Santos;
Vó Maria, de Tomás von der Osten;

Mostra Competitiva Regional

A Caixa de Hofmann, de Fabrício Abramov;
A Outra, de Tullio Leone;
Abandonados, de Natália Oliveira;
Antes Água do que o nunca, de Yuri d’Ávila;
Chão Preto, de Ian Dias e Rodrigo Nascimento;
Cotidiano, de Ruyara Pianta Ribeiro;
Dose Alta, de Thayse Lameirinhas;
Elena, de Sara Tellado;
Exercício 3, de Amanda Giacchetta, Bianca Oliveira, Carol Cianato, Eduardo Malvacini e Natália Corrêa;
Experimental, de Ana Clara Nunes Roberti;
Foto-Feira, de Rodrigo Souza Silva;
Híbrida – Mantra, de Daniel Couto;
Jóquei II, de André Viana e Lucian Fernandes;
Movidos pela Dança, de Lidiane Oliveira;
Noite e Dia, de Samir Hauaji;
O Amigo Oculto do Diabo, de Marcos Pires;
Oito, de Jhonata Almeida e Og Esteves;
Pão da Vida, de Adjalme Carneiro;
Prometo que juro, de Jasmine Giovannini;
Quarto, de Flávio Christo, Gabriela Cerqueira, Luciane d’Ornellas, Lucília bortoni e Nara Salles;
Silêncio 63, de Fábio Nascimento;
Sobre Cinema e Diálogos, de Yuri Westermann;
Urbanidade, de Lucas Tavares;
Veredas Santeiro, de Leandro Domith;

Premiados

No encerramento, foram exibidos os principais premiados da edição anterior e entregues os prêmios aos trabalhos abaixo relacionados:

Mostra Competitiva Nacional
Melhor Filme: Braxília, de Danyella Proença
Melhor Direção: Rafaela Camelo, por A Arte de Andar Pelas Ruas de Brasília
Melhor Roteiro: Abel Roland e Emiliano Cunha, por O Cão
Melhor Atriz: Amélia Bittencourt, por Qual Queijo Você Quer?
Melhor Ator: Henrique César, por Qual Queijo Você Quer?
Melhor Direção de Arte: Mayra Sergio, por Lápis de Cor
Melhor Concepção Fotográfica: Vínicios Brum, por Entre Muros
Melhor Concepção Sonora: Gabriel Motta, por O Cão
Melhor Trilha Sonora: Mateus Mira, por Qual Queijo Você Quer?
Melhor Montagem: Bruno Lasevicius, por Cine Camelô
Melhor Primeiro Plano: Metafísica, de Eduardo Gomes
Menção Honrosa 1: Metafísica, de Eduardo Gomes
Menção Honrosa 2:Cine Camelô, de Clarissa Knoll
Menção Honrosa 3: Monja, de Breno Baptista
Júri Jovem: Cine Camelô, de Clarissa Knoll
Júri Popular: Cine Camelô, de Clarissa Knoll
Júri Popular Infantil: Lápis de Cor, de Alice Gomes
Prêmio Porta Curtas: Qual Queijo Você Quer?, de Cíntia Domit Bittar

Mostra Competitiva Regional
Incentivo Primeiro Plano: Sobre Cinema e Diálogos, de Yuri Westermann
Júri Popular: Sobre Cinema e Diálogos, de Yuri Westermann
Prêmio Zé Sette: Veredas Santeiro, de Leandro Domith

Melhor Concepção Sonora:
Abel Roland, por O Cão

Bibliografia

Internet:

PRIMEIRO PLANO. http://www.primeiroplano.art.br

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]