fbpx

Primeiro Plano 2012 – Festival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades

Evento

Comemorando o décimo ano, em sua décima primeira edição, o Festival teve como tema Planos para o futuro, trazendo o debate para o cinema das diferentes formas de produção que emergiram com a revolução tecnológica alavancada pelo digital.

O Primeiro Plano 2012 – Festival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades é uma realização do Luzes da Cidade – Grupo de Cinéfilos e Produtores Culturais, que comemora dez anos em 2012 e acontecerá de 26 de novembro a 01 de dezembro de 2012, em Juiz de Fora, Minas Gerais.

Uma das principais preocupações do Festival é em relação à formação e inclusão do público infantil e juvenil. Dentre nossas principais atividades está a Sessão Escola, que acontece desde 2005, voltada para alunos de escolas municipais, com filmes de temática infantil e votação do melhor curta-metragem eleito pelas crianças.

Ampliando as atividades, desde o ano retrasado realizamos também programas voltados para jovens entre 14 e 18 anos, em parceria com o Centro Educacional de Referência Herval da Cruz Braz e outras escolas e instituições ligadas à Prefeitura de Juiz de Fora. Além dos filmes, realizamos, pelo terceiro ano consecutivo, as Oficinas Querô (http://www.oficinasquero.org/) em parceria com escolas municipais, voltadas para os jovens.

Outra novidade, surgida ano também no ano retrasado, é o júri jovem, composto por jovens universitários da cidade. Selecionados por seus professores, esses jovens escolhem o melhor curta-metragem da Mostra Competitiva Nacional segundo seus próprios critérios.

Também preocupados com a utilização do cinema como instrumento educacional, já realizamos duas vezes a oficina Pedagogia da Imagem, em parceria com o Cineduc, do Rio de Janeiro, voltada para a capacitação de professores no uso do audiovisual em sala de aula.

O Festival realiza também há quatro anos, sessões em Benfica e tem plano de ampliar as exibições nos bairros periféricos de Juiz de Fora.

Além da exibição de filmes, o Festival realiza também diversas outras oficinas também gratuitas e abertas à população local e emprega temporariamente jovens universitários, contribuindo para sua formação.

Uma realização do Luzes da Cidade – Grupo de Cinéfilos e Produtores Culturais, em parceria com a Universidade Federal de Juiz de Fora, com patrocínio do Ministério da Cultura/ Fundo Nacional de Cultura/ Secretaria do Audiovisual, da Prefeitura de Juiz de Fora/Funalfa, com apoio inestimável do Shopping Alameda; da Cachaça DuBotti; da Asociación Cine Tandil/Festival Nacional de Cortometrajes; do Queijos Cruzília; do Duduxo Alimentos; do Chico Rei; da Planet Music; do Centro Cultural Bernardo Mascarenhas; da Casa de Cultura da UFJF; do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFJF; da Faculdade de Comunicação da UFJF; do Instituto Brasileiro de Audiovisual/Escola de Cinema Darcy Ribeiro; da Pasta Itália; da Associação Festival Brasileiro de Cinema Universitário; d’A Terceira Margem; da Leitura; do Vaporetto; do Sabor & Arte; do Muzik; da Open Tv; do Bendito Café e Restaurante; com promoção do Canal Brasil; da Revista de Cinema; da Revista Coquetel e do Porta Curtas, o prêmio Incentivo Primeiro Plano só foi possível com o apoio da Universidade Federal de Juiz de Fora, do CTAv, da Cinecolor, do CiaRio, da Link Digital, do Centopeia, e do Meios e Mídia, o festival aconteceu entre os dias 26 de novembro e 21 de novembro de 2012 no Espaço Alameda de Cinema, no Centro Cultural Bernardo Mascarenhas e na Casa de Cultura, da UFJF.

O evento abriu com O Próximo, de Yuri Westermann, quarto curta produzido com os recursos do Prêmio Incentivo Primeiro Plano, também com o curta Fim de Mês, de Nilson Assunção Alvarenga e com o longa argentino O Estudante, de Santiago Mitre. Exibiu, ainda, 80 trabalhos dentro das mostras competitivas de filmes nacional e regional, além da Sessão Escola, da Mostra Mercocidades, da Mostra em Benfica e da Mostra Audiovisual de Juiz de Fora.

A semana seguiu com as pré-estreias dos longas Kátia, de Karla Holanda, Elena, de Petra Costa, Esse amor que nos consome, de Allan Ribeiro, Sudoeste, de Eduardo Nunes, e Nenhuma fórmula para a contemporânea visão do mundo, de Luís Rocha Melo.

O festival também organizou o 5° Encontro Internacional Audiovisual, no qual foi discutido o fazer cinematográfico sulamericano. Houve ainda debates com os diretores e oficinas gratuitas. Tivemos um público estimado em seis mil e quinhentas pessoas. O festival recebeu convidados de várias partes do Brasil.

Neste ano, o festival premiou pela quarta vez, com R$ 10.000 e outros recursos, a equipe do melhor curta universitário da cidade eleito por um júri.

Selecionados

Mostra Competitiva Nacional

#, de André Farkas e Arthur Guttilla, Niterói – RJ
#romeujulieta, de Diogo de Nazaré, São Paulo – SP
Agosto, de Caroline Biagi, Curitiba – PR
Através, de Amina Jorge, São Paulo – SP
Ausência, de Jardel Tambani, São Paulo – SP
Cadê meu rango, de George Munari Damiani, São Paulo – SP
Canção para minha irmã, de Pedro Severien, Recife – PE
A Dama da Estácio, de Eduardo Ades, Rio de Janeiro – RJ
Eu & a Loira, de Lucas Calmon, Niterói – RJ
Filme para poeta cego, de Gustavo Vinagre, São Paulo – SP
O fim do filme, de André Dib, São Paulo – SP
A galinha que burlou o sistema, de Quico Meirelles, São Paulo – SP
Irene, de Patrícia Galucci e Victor Nascimento, Taboão da Serra – SP
Joãozinho de carne e osso, de Paulo Vespúcio, Rio de Janeiro – RJ
Lugares comuns que nunca sonhamos, de João Gabriel de Queiroz, Porto Alegre – RS
O Membro Decaído, de Lucas Sá, Pelotas – RS
Nem que tudo termine como antes, de Mariana Martinez e Daniel Caselli, São Paulo – SP
Noites de Primavera, de Leonardo Hwan, São Paulo – SP
Nós parecíamos gigantes, de Daila Pacheco, São Paulo – SP
Pelo caminho, de Vinícius Fernandes, Planaltina – DF
Poetas não escrevem romances, de Kadu Burgos, Rio de Janeiro – RJ
Porn karaoke, de Daniel Augusto, São Paulo – SP
Quando o céu desce ao chão, de Marcos Yoshi, São Paulo – SP
Realejo, de Marcus Vinícius Vasconcelos, São Paulo – SP
Um, Dois, Três, Vulcão, de Miguel Ramos, São Paulo – SP
Você já cortou seu cabelo com maquininha?, de Gabriel Buéssio e Marília Hanashiro, São Paulo – SP

Mostra Competitiva Regional

Casa de Boneca, de Adriana Barata, Juiz de Fora – MG
Clichê, de Pedro Guilherme Fonseca, Juiz de Fora – MG
Compro Ouro, de Rodrigo Souza, Juiz de Fora – MG, UFJF
Condenado, de Cesar Kluska, Juiz de Fora – MG
Conservatória um cantinho e um violão, de Noemi Luz, Juiz de Fora – MG, UFJF
Descompasso, de Jéssica Faria Ribeiro e Fran Moraes, Juiz de Fora – MG, UFJF
Em Consideração, de André Viana, Juiz de Fora – MG, UFJF
Eram os deuses extraterrestres?, de Cacinho, Juiz de Fora – MG
A Estranha, de Aline Ortolani, Juiz de Fora – MG, UFJF
Eu fico, de Lucas Mendonça, de Leopoldina – MG
Filme Francês, de Otávio Campos, Juiz de Fora – MG, UFJF
Filme mínimo #4 Canções, de Sérgio Puccini, Juiz de Fora – MG
Getúlio, que horas são?, de Claudia Rangel e Guilherme Landim, Juiz de Fora – MG, UFJF
Ilê Axé, de Sula Miana, Juiz de Fora – MG, UFJF
Isso é o que me torna mulher, de Altiere Leal, Barbara Maria, Caio Parizi, Daniel Morais e Igor Bastos, de Juiz de Fora – MG, UFJF.
[email protected], de Laboratório de Mídias Locativas e Cinema GPS – LaLoca, Juiz de Fora – MG
O meio enquanto fosse, de casABsurda, Juiz de Fora – MG
Missa, de Tomyo Costa Ito, Juiz de Fora – MG
Nicotina 2mg, de Paulo C. Silva e Vicky Freitas, Juiz de Fora – MG, CES
Porto um senhor imponente e tatuado, de Diego Casanovas, Juiz de Fora – MG
Sherazade, de Matheus Engenheiro, Juiz de Fora – MG, UFJF
Viagem real, de Eduardo Yep e Henrique Vale, Juiz de Fora – MG, UFJF
A viúva, Fernanda Ciribelli, Juiz de Fora – MG

Premiados

No encerramento, exibimos os principais premiados da edição anterior e entregamos os prêmios aos trabalhos abaixo relacionados:

Melhor Filme: A Dama da Estácio, Eduardo Ades
Melhor Direção: Gustavo Vinagre, por Filme para Poeta Cego
Melhor Roteiro: Ana Durães e Quico Meirelles, por A Galinha que Burlou o Sistema
Melhor Atriz: Iná de Carvalho, por Irene
Melhor Ator: Gabriel Bodstein, por O Fim do Filme
Melhor Direção de Arte: Maite Sanchez, por Irene
Melhor Concepção Fotográfica: Pepe Mendes, por Irene
Melhor Concepção Sonora: Livio Tragtenberg, por #
Melhor Trilha Sonora: Ricardo Ponte, por Pelo Caminho
Melhor Montagem: Lucas Mendonça, por O Membro Decaído
Melhor Primeiro Plano: Quando o Céu Desce ao Chão, de Marcos Yoshi
Júri Jovem: A galinha que Burlou o Sistema, de Quico Meirelles
Júri Popular: O Fim do Filme, de André Dib
Prêmio Porta Curtas: Filme para Poeta Cego, de Gustavo Vinagre
Menção Honrosa 1: Realejo, de Marcus Vinícius Vasconcelos
Menção Honrosa 2: Camila Márdila, por Pelo Caminho
Prêmio Incentivo Primeiro Plano: Viagem Real, de Eduardo Yep e Henrique Vale
Menções Honrosas: Getúlio, que Horas São?, de Claudia Rangel e Guilherme Landim; Nicotina 2mg, de Paulo C. Silva e Vicky Freitas; Descompasso, de Jéssica Faria Ribeiro e Fran Moraes
Júri Popular: Viagem Real, de Eduardo Yep e Henrique Vale

Bibliografia

Internet:

PRIMEIRO PLANO. http://www.primeiroplano.art.br

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]