fbpx

Que Estranha Forma de Amar (1978)

Um jovem militar retorna da Guerra do Paraguai e encontra sua prometida casada e também sua paixão secreta igualmente casada com um viúvo que tem uma filha. As coisas se complicam quando ele começa a se apaixonar pela moça, enteada de seu antigo amor, Iaiá Garcia.

Zemmel, Berta (Estela)
Figueiredo, Paulo (Jorge)
Lisboa, Dina (Valéria)
Wilson Fragoso …. Luiz Garcia
Cabral, Sadi (Antunes)
Sampaio, Jacyra (Raimunda)
Paulo, Pedro

Apresentando:
Navarro, Leonor (Maria das Dôres)
Teodoro, Solange
Rossi, Sidnéia
França, J.

Ator(es) Convidado(s):
Maria, Márcia (Eulália)
Mello, Jonas(General Câmara)

Participação especial:
Cattan, Benjamin(Procópio Dias)

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Que Estranha Forma de Amar (1978) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Geraldo Vietri
Roteiro: Geraldo Vietri
Estória Baseada no romance Iaiá Garcia, de Machado de Assis
Assistência de direção: Gouveia, Duarte Gil
Produção: Esteves, Cassiano
Direção de produção: Gouveia, Duarte Gil
Assistência de produção: Zupo, Pedro Paulo; Soares, Francisco
Gerente de produção: Gouveia, Duarte G.
Direção de fotografia: Thomé, Antônio B.
Câmera: Thomé, Antônio B.
Assistência de câmera: Soares, Walter; Nóbile, Pedro L.
Fotografia de cena: Silva, Waldir
Direção de som: Cabalar, Julio Perez
Técnico de som: Santos, Carlos dos
Sonografia: Cabalar, Julio Perez
Montagem de som: Braun, Lucio
Figurinos: Sanchez, Vida
Guarda-roupa: Santos, Américo dos
Cenografia: Enock, José Luiz
Montagem de cenário: Barra, Rubens; Alvarez, Deny; Ferreira, Mário
Maquiagem: Oliveira Neto, Lázaro de
Penteados: Moscardini, Arnaldo
Música de: Gomes, Carlos
Trilha musical: Coelho, Salatiel
Companhia(s) produtora(s): E. C. Distribuidora e Importadora Cinematográfica Ltda.
Companhia(s) distribuidora(s): Marte Filmes S.A.

Brasil | Drama | cor | 35mm | 94 min. | 2.579m | 24q | Eastmancolor

Fontes utilizadas:
CB/Transcrição de letreiros-Cat
CB/FIBRA
Correio do Povo, 09.10.1981, p. 14
ACPJ/II
ALSN/DFB-LM

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

2 comentários sobre “Que Estranha Forma de Amar (1978)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.