fbpx

Renato Aragão

Biografia

Antônio Renato Aragão, em arte mais conhecido como Renato Aragão ou como Didi Mokkó Sonrisal Colesterol Novalgino Mufumbo ou apenas Didi, é um ator, humorista, roteirista, empresário e produtor de cinema e televisão brasileiro nascido na cidade de Sobral, no interior do Estado do Ceará, no dia 13 de janeiro de 1935. Formado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará, é filho do escritor sobralense Paulo Ximenes Aragão e Dinorá Lins.

Em 1955, tornou-se oficial do Exército (segundo-tenente de infantaria), formado pelo CPOR. Em 1961, Renato Aragão formou-se em Direito, na Faculdade de Direito do Ceará. Aos 24 anos, inscreveu-se num concurso da TV Ceará para trabalhar como “realizador” – uma espécie de diretor, redator e produtor de programas. O primeiro programa de televisão de que participou foi Vídeo Alegre.

Embora tenha se formado advogado, atividade que chegou a atuar como tal, paralelamente à carreira artística, Renato Aragão já atuava como cômico da TV Ceará, em 1964, demonstrando seu talento e em pouco tempo já chamava grande atenção como ator cômico.

Em 1964, Renato Aragão decidiu mudar-se para a cidade do Rio de Janeiro a fim de estudar direção de programas e logo foi contratado pela TV Tupi, e São Paulo para trabalhar no humorístico A E I O URCA.

A mudança para a TV Excelsior, em 1966, lhe proporcionou a oportunidade de criar um humorístico próprio. Nascia então Os Adoráveis Trapalhões, em que contracenava com Ivon Curi, Wanderley Cardoso e Ted Boy Marino.

Com a falência da emissora, mudam-se para a TV Record, com o nome de Os Insociáveis, mas com Vanusa no lugar de Ted Boy Marino.

Apesar de ter participado de muitos outros programas humorísticos, Renato Aragão, já com o apelido de Didi, vai para a TV Tupi, mas nunca se esqueceria da fórmula utilizada inicialmente em Adoráveis Trapalhões, e finalmente conseguiria consagrá-la em 1974, ao estrear Os Trapalhões, já regresso à TV Tupi e se une a Manfried Santana, o Dedé, e Antonio Bernardes Gomes, o Mussum. Mauro Gonçalves, o Zacarias, viria a juntar-se ao grupo em 1974. Com esse time, e o nome de Os Trapalhões, tornam-se um dos maiores fenômenos brasileiros de público, fazendo sucesso simultaneamente no Cinema e na televisão. Em dezembro de 1976, são contratados pela TV Globo, estourando de vez.

Em 1965, fez sua estreia no cinema no curta-metragem A Pedra do Tesouro. Sua estreia oficial aconteceu mesmo em 1966 no filme Na Onda do Iê-Iê-Iê. Com o grupo Os Trapalhões, fez o primeiro filme em 1974, Os Trapalhões na Ilha do Tesouro, e não parou mais, tornando-se recordista de público durante vinte anos.

Renato Aragão atuou em diversos filmes, tendo alguns recebido premiações estrangeiras, como Os Vagabundos Trapalhões e O Cangaceiro Trapalhão, no Festival Internacional de Cinema para a Infância e Juventude (Portugal), em 1984, e Os Trapalhões e a Árvore da Juventude, no III Festival de Cine Infantil de Ciudad Guayana (da Venezuela), em 1993.

Entre outras grandes personalidades, Renato Aragão atuou com Pelé no ano de 1986, no filme Os Trapalhões e o Rei do Futebol, quando gravou cenas em um Maracanã lotado antes de uma partida de seu clube de coração, o Vasco da Gama.

Renato Aragão fundou, em 1977, a Renato Aragão Produções Artísticas Ltda., responsável pela produção de filmes, programas de televisão, vídeos e shows, dentre outros.

Graças a todo o sucesso que obteve ao longo da carreira, ficou milionário e construiu, no Rio de Janeiro, um estúdio de 67 mil metros quadrados, vendido recentemente para a TV Record de São Paulo.

Recebeu, em 1980, o título de Cidadão do Estado do Rio de Janeiro e, em 1982, o título de Personalidade Ilustre do Estado do Rio de Janeiro, ambos concedidos pela Câmara Municipal do Rio de Janeiro. Em 1991, tornou-se representante especial do UNICEF e embaixador do mesmo órgão, em prol da infância brasileira. Foi condecorado Chanceler da Ordem do Rio Branco, título concedido pelo MRE, em 1994. Nesse mesmo ano, foi agraciado com a admissão na Ordem Nacional do Mérito Educativo, no grau de oficial, por indicação do Ministério da Educação e do Desporto.

Ainda em 1994, Renato Aragão estreou um programa em Portugal, a convite da emissora portuguesa SIC, com a participação dos atores Dedé Santana e Roberto Guilherme, além de vários artistas portugueses. Em 1995, recebeu o título de Cidadão Paulistano, concedido pela Câmara Municipal de São Paulo. O grupo Os Trapalhões entrou para o Guinness Book, o livro dos recordes, em 1997, como o humorístico brasileiro que permaneceu por mais tempo em exibição na TV.

Com a morte de seus companheiros Zacarias (1990), Mussum (1994) e Tião Macalé, o grupo se desfaz e Renato Aragão decide ficar um tempo afastado da TV.

Em 1997, Renato Aragão retornou ao cinema com O Noviço Rebelde e voltou a fazer um filme por ano, agora sozinho, mas mantendo um milhão de espectadores, excelente média para o atual padrão do Cinema Brasileiro.

Desde 1998 passou a apresentar e estrelar um novo programa semanal inédito, A Turma do Didi, sempre aos domingos pela TV Globo.

Renato Aragão é Apresentador do Programa Tradicional e Especial Anual Criança Esperança, que conta com a participação de vários artistas, e tem por objetivo arrecadar fundos para ajudar crianças carentes.

No ano 2000, festejou seus 40 anos de carreira. Em 2002, sua empresa Renato Aragão Produções Artísticas Ltda. comemora 25 anos de sucesso. Nesse mesmo ano, Renato Aragão lançou o livro Meus Caminhos.

Em 2004, os Personagens Didi e Dedé, protagonizados respectivamente por Renato Aragão e Dedé Santana se reconciliaram no programa tradicional Criança Esperança, com elogios, sorrisos e lágrimas, com a música No Mundo da Lua, de Michael Sullivan e Paulo Massadas.

Em 2008, em A Turma do Didi, da Rede Globo de Televisão, depois de 15 anos separados por problemas pessoais e profissionais, os humoristas Renato Aragão e Dedé Santana interpretaram a Dupla Didi e Dedé e protagonizaram várias cenas. Depois cantaram com o elenco fixo e com o elenco de Apoio. Em 2010, a dupla se apresentou no palco do Especial Show dos 25 Anos do Criança Esperança, fazendo piadas para o público.

Em 2011, foi homenageado pela escola de samba paulista X-9 Paulistana. O enredo foi: De eterna criança a embaixador da esperança… Renato Aragão, Didi Trapalhão!. Renato Aragão trabalhará com Dedé Santana nas Aventuras do Didi e no Criança Esperança.

Dois episódios marcantes evidenciaram o lado religioso de Renato Aragão: o humorista já escalou o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, para beijar a mão da estátua, um sonho que realizou no programa comemorativo de 25 anos, exibido no dia: 27 de agosto de 1991, da formação de Os Trapalhões, e fez uma caminhada de São Paulo a Aparecida, levando uma imagem de Nossa Senhora Aparecida, para pagar uma promessa feita à santa, dias antes da exibição do projeto: Criança Esperança de julho de 1999.

Renato Aragão foi casado por 34 anos com Marta Rangel, com quem teve quatro filhos: Paulo Aragão (1960), Ricardo (1962), Renato Jr. (1968), e Juliana (1977). Atualmente, encontra-se no seu segundo casamento, com a fotógrafa Lílian Taranto, com quem teve uma filha, Lívian Taranto Aragão, nascida em 1999, que segue os passos do pai, já tendo participado de vários de seus filmes.

Filmografia

:: Filmografia como Ator ::

2017 :: Os Saltimbancos Trapalhões – Rumo a Hollywood
2008 :: O Guerreiro Didi e a Ninja Lili
2006 :: Didi: O Caçador de Tesouros
2006 :: O Cavaleiro Didi e a Princesa Lili
2004 :: Didi quer ser Criança
2003 :: Didi: O cupido Trapalhão
2000 :: Um Anjo Trapalhão
1999 :: O Trapalhão e a Luz Azul
1998 :: Simão, o Fantasma Trapalhão
1997 :: O Noviço Rebelde
1991 :: Os Trapalhões e a Árvore da Juventude
1990 :: O Mistério de Robin Hood
1990 :: Uma Escola Atrapalhada
1989 :: Os Trapalhões na Terra dos Monstros
1989 :: A Princesa Xuxa e os Trapalhões
1988 :: Os Heróis Trapalhões – Uma Aventura na Selva
1988 :: O Casamento dos Trapalhões
1987 :: Os Trapalhões no Auto da Compadecida
1987 :: Os Fantasmas Trapalhões
1986 :: Os Trapalhões e o Rei do Futebol
1986 :: Os Trapalhões no Rabo do Cometa
1985 :: Os Trapalhões no Reino da Fantasia
1984 :: Os Trapalhões e o Mágico de Oróz
1984 :: A Filha dos Trapalhões
1983 :: O Cangaceiro Trapalhão
1983 :: O Trapalhão na Arca de Noé
1982 :: Os Vagabundos Trapalhões
1982 :: Os Trapalhões na Serra Pelada
1981 :: Os Saltimbancos Trapalhões
1981 :: O Mundo Mágico dos Trapalhões
1981 :: O Incrível Monstro Trapalhão
1980 :: Os Três Mosqueteiros Trapalhões
1979 :: O Cinderelo Trapalhão
1979 :: O Rei e os Trapalhões
1978 :: Os Trapalhões na Guerra dos Planetas
1977 :: O Trapalhão nas Minas do Rei Salomão
1976 :: Simbad, o Marujo Trapalhão
1976 :: O Trapalhão no Planalto dos Macacos
1975 :: O Trapalhão na Ilha do Tesouro
1974 :: Robin Hood – o Trapalhão da Floresta
1973 :: Aladim e a Lâmpada Maravilhosa
1972 :: Ali Babá e os Quarenta Ladrões
1971 :: Bonga, o Vagabundo
1970 :: A Ilha dos Paqueras
1968 :: Dois na Lona
1967 :: Adorável Trapalhão
1966 :: Na Onda do Iê-Iê-Iê
1965 :: A Pedra do Tesouro (CM)

Bibliografia

Fontes de Referência:

Livros:

BARRETO, Juliano. Mussum Forévis: samba, mé e trapalhões. São Paulo: Leya Brasil, 2014.
FONSECA, Rodrigo. Renato Aragão: do Ceará para o coração do Brasil. Rio de Janeiro: Sextante, 2017.
IBIAPINA FILHO, Francisco Ximenes. Os Ximenes de Aragão e suas origens. Brasília: Ed. do autor, 2003.
JOLY, Luis; FRANCO, Paulo. Os Adoráveis Trapalhões. São Paulo: Matrix, 2007.
SILVA NETO, Antonio Leão da. Astros e estrelas do cinema brasileiro. 2. ed. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Renato Aragão. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/renato-aragao/

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Artigos Relacionados