fbpx

Reynaldo Gianecchini

Reynaldo Cisotto Gianecchini Júnior, em arte conhecido como Reynaldo Gianecchini, é um ator e modelo brasileiro nascido em Birigui (SP) no dia 12 de novembro de 1972.

Entre 1991 e 2000, exerceu a profissão de modelo profissional, viajando por todo o Brasil. Sua estreia como ator foi no teatro com a peça Cacilda. Em 2000, atuou em sua primeira novela, Laços de Família, na qual viveu o protagonista Eduardo, um jovem médico recém-formado que se envolve em um triângulo amoroso entre Helena (Vera Fischer) e Camila (Carolina Dieckmann), mãe e filha, tendo sido muito criticado na época pela sua atuação.

Com talento e beleza, aos poucos vai conquistando seu espaço até se tornar um dos principais galãs da TV Globo. Um dos rostos mais bonitos do Brasil, Giane (como é chamado entre amigos), não se contenta apenas em ser bonito, entre um trabalho e outro, viajou ao exterior para aperfeiçoar seus conhecimentos na arte de representar.

Em seguida, participou da novela As Filhas da Mãe, como Ricardo, homem que descobre-se apaixonado pelo amigo de trabalho Dagmar, de Cláudia Jimenez, e depois vem a saber que na verdade trata-se de uma mulher. Depois de um início conturbado por críticas ao seu trabalho, com mais experiência e estudo, tem sido respeitado e até elogiado em suas atuações na televisão e no teatro.

Em 2002, protagonizou a novela Esperança, ao lado de Priscila Fantin e Ana Paula Arósio, recebendo o Prêmio Master de Melhor Ator pelo trabalho feito. Simultaneamente, fez sus estreia no cinema atuando no longa Avassaladoras, no papel do Don Juan Thiago. Em 2003, fez uma participação especial no último capítulo da novela Mulheres Apaixonadas e, em 2004, protagonizou o grande sucesso do horário das sete, Da Cor do Pecado, vivendo os gêmeos Paco e Apolo. Pela sua atuação, recebeu o Prêmio Contigo! de Melhor Ator.

Mas foi em 2005, que o ator viveu o melhor momento de sua carreira até então, quando encarnou o atrapalhado mecânico Paschoal, de Belíssima, mostrando a sua versatilidade e o seu lado cômico. Na trama, sua personagem formou par romântico com a fogosa Safira, de Cláudia Raia, e juntos o casal demonstrou bastante química. Pelo trabalho recebeu o Prêmio Qualidade Brasil e o Troféu Leão Lobo, ambos na categoria de Melhor Ator Coadjuvante. Ao mesmo tempo, encenou a peça Vossa Excelência, o Candidato, sendo bastante elogiado.

Em 2007, viveu mais um protagonista na televisão, o Dante, de Sete Pecados, ao lado das atrizes Priscila Fantin e Giovanna Antonelli. Na trama, viveu um taxista pobre, casado com a humilde Clarice, que acaba por se envolver com a ex-colega de escola Beatriz. O par formado entre Dante e Beatriz tiveram tanta química juntos que fez sucesso a música de Marisa Monte, Não Quero Ver Você Triste, nas rádios de todo o Brasil. Foi também nesse ano, que encarnou no cinema a personagem que na televisão fora vivido por Tony Ramos, o Jorge do filme Primo Basílio.

Em 2008, recusou convite para participar da novela Negócio da China, alegando estar ocupado com a peça Doce Deleite, juntamente com Camila Morgado. Ainda esse ano, protagonizou o longa Sexo com Amor?. Depois, em 2009, foi convidado a viver um personagem homossexual na minissérie Cinquentinha. O personagem na verdade seria um vilão, e por esse motivo recusou ao convite, já que havia se comprometido com o autor Sílvio de Abreu, a participar de sua próxima novela, Passione, na pele de um dos antagonistas principais. No cinema, ainda viveu o protagonista do filme Entre lençóis, como Roberto, homem que conhece uma mulher que está a um dia do casamento, e em uma noite intensa de amor e conversa, tenta convence-la a não se casar. Também esteve presente no filme Divã, adaptação com sucesso da peça homônima para o cinema. Entre 2010 e 2011, esteve no elenco da telenovela brasileira da Rede Globo Passione, onde interpretou o antagonista Fred. Em outubro de 2011, seu pai Reynaldo Cisoto Gianecchini faleceu, vítima de um câncer no sistema digestivo.

Em 2012, integrou o elenco do remake da Telenovela das 7 Guerra dos Sexos, de Silvio de Abreu, como Nando Cardoso, motorista do machista Otávio (Tony Ramos).

De 1999 a 2006, foi casado com a jornalista, apresentadora e agora atriz Marília Gabriela.

Livros:

FIÚZA, Guilherme. Giane: vida, arte e luta. São Paulo: Primeira Pessoa, 2012.
SILVA NETO, Antonio Leão da. Astros e estrelas do cinema brasileiro. 2. ed. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Reynaldo Gianecchini. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/reynaldo-gianecchini/
WIKIPEDIA. http://pt.wikipedia.org/wiki/Reynaldo_Gianecchini

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

2 comentários sobre “Reynaldo Gianecchini

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.