fbpx

Roberto Santos Filho

Biografia

Roberto Santos Pinhanez Filho, em arte mais conhecido como Roberto Santos Filho, é um diretor de fotografia brasileiro nascido em São Paulo (SP) em 17 de Setembro de 1960. Filho do cineasta Roberto Santos, é conhecido no meio cinematográfico como Tuta.

Cursa jornalismo na PUC-SP e depois vários cursos de especialização como o Curso de Cinema no Grupo Educacional Equipe, com o Prof. Jorge Lopes, em 1977, Curso O Outro Lado da Fotografia, na Kodak em 1978, Curso avançado de fotografia na Escola Imagem e Ação, em 1979, etc. Aprende os fundamentos do cinema, em especial a fotografia com o pai, o mestre Roberto. Faz estágio de assistente de câmera na Lynxfilm entre 1977 e 1979. Em 1977 dirige e fotografa seu primeiro filme, na bitola Super-8, o documentário curto Feira Medieval, em parceria com Dimitri Lee, Afonso Cláudio e Plínio Veras Baptista, pelo Colégio Equipe. Assistente de câmera no filme Amantes da Chuva (1979), direção do pai. Depois O Homem do Pau Brasil (1981), de Joaquim Pedro de Andrade, e Noites Paraguayas (1982), de Aloysio Raulino. Seu primeiro filme como diretor de fotografia é realizado em 1984, Um Minuto Para Meia-Noite, de Flávio Del Carlo. Depois de vários curtas, assina a fotografia de seu primeiro longa em 2007, Último Kuarup Branco, direção de Bhig Villas-Boas, e O Retorno (2008), de Rodolfo Nanni. Recebe vários prêmios por seus trabalhos, como melhor fotografia no Festival de Brasília, em 1998 e no Festival Chileno Internacional de Cortometraje, em 1999, pelo curta Náufrago. Em 2003 funda a produtora Ruptura Cinematográfica.

Em 2008, recebeu o prêmio no XXII Cine-PE, por O Retorno, de Rodolfo Nanni, e em Atibaia, em 2009, pelo curta A Vida é Curta, de Leo Falcão.

Fotografou em países como Argentina, Estados Unidos, Chile, etc., além de vários ensaios na Amazônia, principalmente no Parque do Xingu. Atualmente desenvolve um projeto documental em Buenos Aires, na verdade um ensaio fotográfico sobre o livro O Cantor de Tango de Tomas Eloy Martinez, seguindo personagens e acontecimentos narrados pelo autor, fotografando uma Buenos Aires que poucos conhecem. Tem enorme experiência em cinema e cinema digital ao adquirir, nos últimos cinco anos, grande conhecimento sobre técnicas de preto e branco digital a partir de arquivos digitais em cores.

Em 2009, iniciou a coordenação técnica do projeto de restauração digital da filmografia de seu pai, o diretor paulista Roberto Santos, e prepara a fotografia do novo longa da cineasta Tânia Lamarca, Amores Raros. Por meio de sua produtora, realiza centenas de comerciais, principalmente para empresas do Norte/Nordeste, onde tem atuado com frequência nos últimos anos.

Filmografia

Filmografia: 1977 – Feira Medieval (CM) (dir e fot) (codir. Dimitri Lee, Afonso Cláudio e Plínio Veras Baptista); 1980 – O Retrato Oval (CM); 1981 – Madeirit (CM); 1984 – Um Minuto Para Meia-Noite (CM); 1986 – Operação Brasil; 1987 – Quincas Borba; 1988 – Circular Avenidas (CM); Fiat Lux (Não é Marca de Fósforos) (CM); 1989 – Guerra de Rua (CM); 1992 – 1999 (CM); 1994 – Roberto (CM); Vianinha (CM); 1998 – Brasil em Sotaques; Náufrago (CM); 1999 – Tepê (CM); 2002 – Açai Com Jabá – Um Filme Que Bate na Fraqueza (CM); 2003 – Imensidade (CM); 2004 – Expedição Roncador-Xingu; Thelastnote.com (CM); 2005 – Eletrodoméstica (CM); 2006 – Fordlândia; 2007 – Último Kuarup Branco; 2008 – Guia Prático e Sentimental da Cidade de Recife; O Retorno; 2009 – A Vida é Curta (CM); 2010 – Fala Sério.

Bibliografia

Livros:

SILVA NETO, Antonio Leão da. Dicionário de Fotógrafos do Cinema Brasileiro. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2011.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.