fbpx

Rosamaria Murtinho

Biografia

Rosa Maria Pereira Murtinho, em arte mais conhecida como Rosamaria Murtinho, é uma atriz brasileira, nascida na cidade de Belém (PA) no dia 24 de outubro de 1935.

É descendente do político brasileiro Joaquim Murtinho. Seu pai, o engenheiro agrônomo carioca Frederico Murtinho Braga, teve que fazer um trabalho no Norte do Brasil, para o Instituto Agronômico do Norte, e então conheceu Maria do Carmo, filha do Dr. Enéas Calandrini Pinheiro, então diretor do instituto, e os dois se apaixonaram. Casaram-se e Rosamaria nasceu em Belém e veio para o Rio de Janeiro ainda bebê, aos 21 dias de idade, na então capital do país. Morou durante um ano nos Estados Unidos. Queria estudar Direito e para isso vinha se preparando, mas entrou para o teatro, arte pela qual se apaixonou e que a fez desistir de tudo o mais.

Seu irmão começou a fazer teatro amador com Paulo Francis, e Rosamaria ingressou no grupo “Studio 53”. Uma das atrizes adoeceu e Rosamaria, a pedido de seu irmão e por sugestão de Paulo Francis, tomou o lugar dela, isso aos dezoito anos, num grupo amador, mas que levava o trabalho a sério. Um dia, Silveira Sampaio, que era dono do Teatro de Bolso, assistiu a uma apresentação do grupo e gostou de Rosamaria, convidando-a a participar de uma peça dele. Só aí ela ganhou seu primeiro salário. Depois foi a vez de Sandro Polônio chamá-la para fazer teatro em São Paulo, mas os pais não permitiram. Porém, acompanhada pela mãe, Rosamaria foi para Portugal trabalhar. Ainda nem era atriz nacional, e já era atriz internacional.

Voltando ao Brasil, começou a trabalhar na televisão, ao mesmo tempo em que fazia teatro, com o Teatro dos Sete, que era de Fernanda Montenegro, Fernando Torres, Sérgio Britto e outros, por volta de 1955. Participou, nessa mesma época, do programa “Câmera Um”, de Jacy Campos, que montava todo o espetáculo usando apenas uma câmera. Depois disso, Rosamaria foi do Rio para São Paulo, participando de grandes peças, dentre as quais O Canto da cotovia, A Rosa tatuada e Manequim. Foi numa dessas montagens que viria a conhecer o ator Mauro Mendonça, com quem se casou em 1959.

Dependendo de seus trabalhos e dos de Mauro em televisão e teatro, a vida de Rosamaria sempre esteve entre a “terra da garoa” e a “cidade maravilhosa”. Trabalhou na TV Tupi e, contratada pela TV Excelsior, mudou-se para São Paulo, onde participou de telenovelas como A moça que veio de longe, A muralha, Sangue do meu sangue, Os estranhos, entre outras. Em 1972 estreou na Rede Globo, participando de O primeiro amor, e onde outras telenovelas de sucesso se seguiram.

No fim da década de 1980, foi trabalhar na TV Manchete, atuando em Kananga do Japão e Pantanal, voltando a seguir à Rede Globo. Sem deixar o teatro de lado, Rosamaria atuou em Ô Abre alas, que falava de Chiquinha Gonzaga.

É casada com o também ator Mauro Mendonça com quem tem três filhos homens, sendo que um deles, Mauro Mendonça Filho, é cineasta e diretor de dramaturgia da Rede Globo de Televisão.

Filmografia

2011 :: Seu Arlindo vai à loucura
2011 :: Pegadas de Zila
2006 :: O amigo invisível
2006 :: O Cavaleiro Didi e a Princesa Lili
2003 :: Didi, O Cupido Trapalhão
1988 :: Natal da Portela
1988 :: Primeiro de abril, Brasil
1983 :: A longa noite do prazer
1962 :: O vigilante rodoviário
1960 :: Weit ist der Weg

Bibliografia

Livros:

CARVALHO, Tânia. Rosa Maria Murtinho: simples magia. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, .

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

3 comentários sobre “Rosamaria Murtinho

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.