fbpx

Sérgio Mamberti (1939-2021)

Sérgio Duarte Mamberti, em arte conhecido como Sérgio Mamberti, foi um ator, dramaturgo, diretor de teatro, produtor e gestor público brasileiro nascido na cidade de Santos (SP) no dia 22 de abril de 1939. É irmão do saudoso ator Cláudio Mamberti.

Formado em 1961 pela Escola de Artes Dramáticas da Universidade de São Paulo (USP), construiu uma sólida carreira de ator e dramaturgo ao longo de mais de 50 anos. Começou sua carreira em 1962, atuando nos palcos, no qual colecionou a marca de setenta peças. Um de seus maiores êxitos é Pérola, de Mauro Rasi. Ator completo, realizou com competência todos os seus trabalhos, quer no teatro, televisão ou cinema. Dirigiu quase uma dezena de outras peças, como Luar em Preto e Branco.

Como ator, estreou no cinema em 1966 no filme Nudista à Força, dirigido por Victor Lima. A partir daí, não parou mais. Em sua extensa filmografia, destacam-se O Bandido da Luz Vermelha (1968), Toda Nudez Será Castigada (1972), O Baiano Fantasma (1984), Doces Poderes (1996), Xuxa Abracadabra (2003) e, mais recentemente, Bodas de Papel (2008).

Na televisão, estreou em 1966 na novela Ana, seguindo-se Algemas de Ouro (1969), As Pupilas do Senhor Reitor (1970), Brilhante (1981), Dona Anja (1996), Da Cor do Pecado (2004), Desejo Proibido (2007), entre tantas outras. Referência em atuação, Sérgio atuou brilhantemente em novelas, séries, minisséries e programas especiais, sendo até hoje lembrado pelo público por seus papéis, como o culto copeiro Eugênio, de Vale Tudo (1988); o doce e sábio Dr. Victor, do programa infantil Castelo Rá-Tim-Bum; Agosto (1993) e A Muralha (2000), entre outros personagens marcantes em sua carreira.

Na segunda metade da década de 1990, Sérgio Mamberti foi responsável pela programação e direção artística do pequeno Teatro do Hotel Crowne Plaza, em São Paulo, que difundiu talentos emergentes e novas experiências cênicas e musicais. Entre as atrações que despontavam para o mundo de amealhar os sons, estiveram lá Cássia Eller (1962-2001) e Zélia Duncan.

Como gestor público, Mamberti ocupou diversos cargos no Ministério da Cultura durante o governo Lula (2003-2011) e no primeiro mandato de Dilma Rousseff (2011-2014). Em 12 anos, foi Secretário de Música e Artes Cênicas, Secretário da Identidade e da Diversidade Cultural, presidente da Fundação Nacional de Artes (Funarte) e Secretário de Políticas Culturais, além de ter substituído interinamente três ministros da pasta. Mamberti saiu do ministério em 2013. O trabalho exercido nos governos Lula e Dilma foi responsável por mantê-lo longe do teatro.

Mesmo com as interrupções provocadas por sua atividade política, Mamberti construiu uma sólida carreira na cena cultural brasileira. Durante sua longa carreira artística, participou de 36 filmes, 36 novelas, cerca de 80 peças de teatro (sendo 20 como produtor) e recebeu vários prêmios por seus trabalhos.

Irmão do também ator Cláudio Mamberti (1939-2001), Mamberti era viúvo desde 1980, da atriz Vivian Mahr (1943-1980), que morreu aos 37 anos por complicações respiratórias, o ator afirmava que nunca considerou casar novamente. Com ela, teve três filhos, o também ator Duda Mamberti (1966) – conhecido nacionalmente pela atuação em Baile Perfumado; o produtor Carlos Mamberti (1967) e o diretor Fabrízio Mamberti (1969).

Em agosto de 2021, Mamberti foi internado por conta de uma disfunção renal e de uma pneumonia em São Paulo. Ele já tinha passado por três internações em 2021. Na penúltima (em julho), teve uma pneumonia, melhorou e voltou para casa. Mas foi preciso o uso de muitos remédios, e isso acabou afetando um pouco seus rins. O artista passou três semanas em casa e começou a ter disfunção renal, o que alterou sua pressão arterial. Novamente, teve que voltar para a UTI. E, como ficava numa mesma posição, acamado, sem muito movimento, novamente o pulmão começou a ter água e, com isso, formou-se uma nova infecção pulmonar. Em seus últimos dias, o quadro de saúde piorou e foi preciso mantê-lo entubá-lo. Infelizmente, na madrugada do dia 03 de setembro de 2021, aos 82 anos de idade, Sérgio Mamberti veio a falecer.

Filmografia

:: Filmografia como Ator ::

2021 :: O Pastor e o Guerrilheiro (Em Finalização)
2014 :: O Samba daqui
2013 :: Jogo das Decapitações
2012 :: O Inventor de Sonhos
2010 :: Luz nas Trevas, A volta do Bandido da Luz Vermelha
2008 :: Bodas de Papel
2007 :: O Homem que Desafiou o Diabo
2006 :: O Cavaleiro Didi e a Princesa Lili
2003 :: Xuxa Abracadabra
2003 :: O Santo Mágico (CM)
2001 :: 3 Histórias da Bahia (Episódio: Agora é Cinza)
2000 :: Brava Gente Brasileira
2000 :: Tônica Dominante
1999 :: Castelo Rá-Tim-Bum – O Filme
1999 :: Hans Staden (Brasil/Portugal)
1996 :: Doces Poderes
1996 :: Com que Roupa? (CM)
1996 :: Mil e Uma
1994 :: Dente por Dente (CM)
1994 :: Quem Paga? (CM)
1994 :: Parecer (CM)
1994 :: O Efeito Ilha
1993 :: Nunc et Semper (CM)
1992 :: Dudu Nasceu
1992 :: Perfume de Gardênia
1992 :: Oswaldianas (Episódio: Uma Noite com Oswald)
1991 :: Olímpicos (CM)
1990 :: Beijo 2348/72
1989 :: O Corpo
1989 :: Fora da Estrada (CM)
1988 :: Fogo e Paixão
1988 :: Adeus (CM)
1988 :: O Mentiroso
1988 :: Romance
1988 :: A Dama do Cine Shanghai
1987 :: A Menina do Lado
1987 :: A Mulher Fatal Encontra o Homem Ideal (CM)
1986 :: Brasa Adormecida
1986 :: Anjos da Noite
1986 :: A Cor da Luz (CM)
1985 :: Avaeté – Semente da Vingança
1985 :: Sonho sem fim
1984 :: Made In Brazil (Episódio: Um Milagre Brasileiro)
1984 :: O Baiano Fantasma
1983 :: Do Outro Lado da Lua (MM)
1982 :: Renovo (CM) …. narração
1982 :: Noites Paraguaias
1982 :: Rio Babilônia
1982 :: O Olho Mágico do Amor
1981 :: O Homem do Pau-brasil
1980 :: Paulo Emílio (CM) …. narração
1979 :: Maldita Coincidência
1978 :: Parada 88 – o Limite de Alerta
1976 :: À Flor da Pele
1972 :: Toda Nudez Será Castigada
1972 :: Jogo da Vida e da Morte
1968 :: O Bandido da Luz Vermelha
1966 :: Nudista à Força

:: Filmografia como Ele Mesmo ::

2009 :: Meu Amigo Cláudia
2007 :: Person, um cineasta de São Paulo

Bibliografia

Fontes de Referência

Livros:

ALMEIDA, Paulo Sérgio; OLIVEIRA, José Maria de. (org.). Quem é Quem no Cinema. Rio de Janeiro: Iluminuras, 2003.
ALVES JR, Dirceu. Sérgio Mamberti: senhor do meu tempo. São Paulo: Edições Sesc, 2021.
SILVA NETO, Antonio Leão da. Astros e estrelas do cinema brasileiro. 2. ed. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.

Internet:

FILMEB. Sérgio Mamberti. Disponível no endereço: http://www.filmeb.com.br/
HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Sérgio Mamberti. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/sergio-mamberti/
JORNAL DO BRASIL. Morre o grande ator Sérgio Mamberti. Disponível no endereço: https://www.jb.com.br/cadernob/2021/09/1032592-morre-sergio-mamberti-protagonista-de-solida-carreira-na-cena-cultural-do-brasil.html. Acesso em: 03 set. 2021.
VGI AGENTES. Sérgio Mamberti. Disponível no endereço: https://vgiagentes.com.br/artistas/sergio-mamberti/. Acesso em: 03 set. 2021.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

3 comentários sobre “Sérgio Mamberti (1939-2021)

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.