fbpx

Soledade (1976)

O mundo violento e apaixonado dos engenhos. Paraíba, 1938. Em meio a um incêndio no Carnaval, Lúcio, seu proprietário, recorda os vinte anos de apogeu e transformação de sua propriedade e as pessoas que fizeram esta história. Principalmente a de Soledade, a retirante que chegou com sua família no engenho Marzagão e seduziu a todos os homens do lugar com sua sensualidade e beleza, despertando ódio, violência e amor. Em meio à tensão, o retrato convulsionado da política da época: a Aliança Liberal contra Washington Luiz e a revolta pela morte de João Pessoa. A paixão arde no Marzagão assim como transforma a vida do Brasil.

Elenco

Rejane Medeiros
José Marinho

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Soledade (1976) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Paulo Tiago

Bibliografia

Livros:

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Soledade. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/soledade/

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

2 comentários sobre “Soledade (1976)

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.