fbpx

Tainá 2 – A Aventura Continua (2004)

Agora uma pré-adolescente, a indiazinha se divide entre o enfrentamento dos bandidos e a atenção para com a pequenina Catiti, de seis anos, que foge da aldeia querendo imitar Tainá como protetora do meio ambiente. A garotinha sonha encontrar seu xerimbabo, bichinho de estimação.

A pequenina índia Catiti (Arilene Rodrigues) anda pela floresta seguindo e imitando Tainá (Eunice Baía), hoje uma linda e corajosa adolescente. Elas inutilizam as armadilhas dos traficantes de espécimes raros e, durante suas aventuras, encontram Carlito (Vitor Morosini), garoto da cidade à procura de seu cachorrinho perdido, que Catiti resgata e quer adotar como seu xerimbabo (bichinho de estimação), pois todas as crianças da aldeia têm um, com exceção de Catiti.

Quando a quadrilha se apodera dos xerimbabos da aldeia, todas as crianças devem esquecer as diferenças de cultura e temperamento para socorrer os cativos e se unirem sob a liderança de Tainá.

A franquia infantil é uma das mais populares do país. Tainá – Uma Aventura na Amazônia, de Tânia Lamarca e Sérgio Bloch, foi vista por 853 mil espectadores e contabilizou R$ 3 milhões de bilheteria em 2001.

Este segundo filme da franquia, Tainá – A Aventura Continua, de Mauro Lima, teve 788 mil espectadores e renda de R$ 4,6 milhões em 2005.

O final da trilogia será dirigido por Michael Ruman (montador de “Eliana em O Segredo dos Golfinhos”).

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Um comentário em “Tainá 2 – A Aventura Continua (2004)

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.