fbpx

Também somos irmãos (1949)

Sinopse

Um viúvo cinquentão, que por não ter filhos adota quatro crianças: duas brancas e duas negras. Na infância tudo correu bem, mas com o correr do tempo, as coisas foram se modificando. As limitações aos negros vão se acentuando e chegam a tal ponto que se transformam em verdadeiras humilhações.

Primeiro filme brasileiro a abordar o preconceito racial, dirigido por José Carlos Burle, “Também somos irmãos” mostra um viúvo cinquentão que, por não ter filhos, adota quatro crianças: duas brancas e duas negras.

Já adultos, os irmãos negros Renato, advogado e afeito às leituras, e Altamiro, fã aclamado de samba e dono de um inconformismo muito grande, têm de enfrentar os conflitos de posturas, que se transformam em verdadeiras humilhações, valendo-se da solidariedade fraternal.

Elenco

Grande Otelo
Vera Nunes
Agnaldo Camargo
Jorge Dória
Ruth de Souza
Agnaldo Rayol
Sérgio de Oliveira
Jorge Goulart
Marina Gonçalves
Jece Valadão
Leonora Augusta
Átila Iório
Navarro de Andrade
Ayres Campos

Ficha Técnica

Direção: José Carlos Burle
Assistente de direção: Roberto Machado
Roteiro: Alinor Azevedo
Co-produção: Atlântida Cinematográfica
Música: Lírio Panicali
Canções: José Carlos Burle e Luiz Peixoto
Som: Jorge Coutinho
Fotografia: Edgar Brasil
Cenografia: José Cajado Filho
Montagem: Waldemar Noya
Distribuição: U.C.B. – União Cinematográfica Brasileira

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

2 comentários sobre “Também somos irmãos (1949)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.