fbpx

Tudo bem (1978)

Sinopse

Uma família de classe média do Rio de Janeiro decide reformar o apartamento para o noivado da filha. Em meio às obras, os componentes da família e os trabalhadores vão revelando suas particularidades. O pai, Juarez, tem três alter-egos, que o ajudam a escrever cartas para um editor de jornal falando sobre a realidade brasileira, escuta discos com cantos de pássaros da Amazônia e músicas indígenas, e gosta muito de poesia. Ele está sofrendo de impotência e Elvira, sua mulher, sofre sentindo-se rejeitada. Cisma que ele tem uma amante, Valdete, e procura em todas as coisas indícios da traição. Ao mesmo tempo que se diz muito religiosa, tem fantasias eróticas com personagens bíblicos. Sonha com o dia em que Juarez a levará a um motel. A filha do casal namora um executivo norte-americano e só pensa em comprar roupas. O filho trabalha como relações-públicas de uma multinacional e se esmera em tentar atender o telefone no idioma inglês. Aparecida, a cozinheira, apresenta problemas psicológicos e é uma benzedeira de mão cheia, e Zezé, a arrumadeira, se prostitui nas horas vagas para aumentar suas rendas. Durante a reforma, a família padece de toda a sorte de ocorrências, desde as intrínsecas à obra até fatos como o alojamento, na sala em reforma, por alguns dias, de uma família inteira de um dos pedreiros que não tem onde se abrigar. Aparecida surta e os pedreiros acreditam que ela é uma santa que faz milagres. Crentes vão até o partamento para pedir ajuda à ” iluminada” e são expulsas por Juarez. Num dia de bebedeira, um dos alter-egos de Juarez morre, e seu velório acontece na biblioteca, com a presença de muitas entidades. Enfim, a tão esperada reforma termina, todos se apressam em arrumar o apartamento para a festa de noivado. Dois pedreiros se desentendem, brigam e um mata o outro. A noite chega e a festa acontece, com a família se esforçando para esconder o sangue que mancha o chão da sala, enquanto na cozinha Aparecida vela o corpo do pedreiro.

Elenco

Fernanda Montenegro (Elvira)
Paulo Gracindo (Juarez)
Silvia, Maria (Aparecida de Fátima)
Motta, Zezé (Zezé)
Garcia, Stênio (Zeca Maluco)
Dumont, José (Piauí)
Vasconcellos, Anselmo (Washington)
Casé, Regina (Vera Lúcia)
Guimarães, Luiz Fernando (Zé Roberto)
Torres, Fernando (Giacometti)
Linhares, Luis (Pedro Penteado)
Jorge Loredo …. Alarico Sombra
Freire, Álvaro (Executivo)
Torres, José Maranhão (Executivo)
Ramos, Alby (Executivo)
Pingo, Jesus (Executivo)
Basílio, Maria Helena (Santa Avó)
Dantas, Daniel (Executivo)
Mariano, Procopio
Banzo
Guilherme Karan
Jarbas
Fernandes, Washington
Cumequepode, Jarbas (Servente)
Figurante(s):
Fumanchu (Servente)
Pardal
Balika
Favela, Paulo (Servente)
Maçaroca(Servente)

Participação especial:
Pereio, Paulo César (Bill Thompson)
Botelho, Wellington(Síndico)

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Tudo bem (1978) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Arnaldo Jabor
Roteiro: Arnaldo Jabor e Serran, Leopoldo
Assistência de direção: Ribeiro, Emiliano; Loureiro, Gilberto
Direção de produção: Diniz, Carlos Alberto
Produção executiva: Arnaldo Jabor
Assistência de produção: Schilke, Walter; Torres, José Maranhão
Direção de Fotografia: Dib Lutfi
Câmera: Dib Lutfi
Assistência de câmera: Balbino, Francisco
Fotografia de cena: Lins, Bruno
Eletricista: Peixoto, Carlos
Maquinista: Pacheco, Antônio
Som direto: Raposeiro, Vitor
Mixagem: Vianna, Aloysio
Assistente de som: Breciane, Geraldo
Montagem: Santeiro, Gilberto
Figurinos: Hélio Eichbauer
Guarda-roupa: Fernandes, Cacilda
Cenografia: Hélio Eichbauer
Letreiros: Cervera (PPP)
Carpinteiro: Sacramento, Cosme
Maquiagem: Pacheco, Antonio
Vestuário: Hélio Eichbauer
Seleção musical: Arnaldo Jabor
Companhias Produtoras: Sagitarius Produções Cinematográficas Ltda. | Embrafilme – Empresa Brasileira de Filmes S.A.
Companhia Distribuidora: Embrafilme – Empresa Brasileira de Filmes S.A.

Dados adicionais de música
Título da música: Música do Alto Xingú;

Título da música: Sinfonia dos Salmos
Música de: Stravinski, Igor

Prêmios

Melhor Filme; Melhor Fotografia para Dib Lutfi e Melhor Ator Coadjuvante para Paulo Cesar Pereio no Festival de Brasília, 11, 1978, Brasília – DF.
Prêmios Moliére de Cinema, 1978, de Melhor Filme; de Melhor Direção e de Melhor Atriz para Montenegro, Fernanda.
Melhor Atriz para Montenegro, Fernanda no Festival de Taormina – IT.

Bibliografia

Fontes de Referência

Fontes utilizadas:
CB/Transcrição de letreiros
CB/Ficha Filmográfica
Press-release
O Estado de S. Paulo, 25.02.1979
ALSN/DFB-LM
FBR/16

Fontes consultadas:
FBR/11

Internet:

CINEMATECA BRASILEIRA. http://www.cinemateca.org.br/ – Cinemateca Brasileira – Brasil

Observações:
Press-release (Eu sei que vou te amar) informa que o filme foi distribuido para a América Latina, Bélgica, Espanha e Portugal.
O Estado de S. Paulo de 25.02.1979 inclui no elenco e informa que o lançamento do filme ocorreu a 26.02.1979 no Olido, no Bristol, no Arouche-A e no Iguatemi
Após grafarem os nomes de Luiz Fernando Guimarães e de Jarbas os letreiros do filme grafam em seguida e respectivamente: (do ”) e ”.
O filme foi exibido no Fórum do Cinema Jovem do Festival de Berlim.
CA/AF informa que o filme foi exibido na mostra promovida pelo – de Belo Horizonte. A mostra aconteceu de 11.08 a 01.09.1979

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]